Vigilante presencia furto, chama a polícia e é preso por dívida de pensão em Ribeirão Preto

Ele percebeu invasão de comércio na região central e acionou a Polícia Militar; ladrão foi preso e o denunciante, também

Foto: Lúcio Mendes
Continua depois da publicidade

Um vigilante acabou preso ao denunciar um furto que ocorreu na madrugada desta quarta-feira (6) na região central de Ribeirão Preto. Ele notou que um outro homem invadiu um estabelecimento comercial e chamou a Polícia Militar. O criminoso foi detido mas, quando os policiais registraram a ocorrência, ficou constatado que havia um mandado de prisão contra ele por dívida de pensão alimentícia. Ambos foram presos.

Segundo o cabo Pedroso, que atendeu a ocorrência, o vigilante trabalha na região e percebeu que uma loja de açaí que fica na rua Mariana Junqueira estava sendo assaltada. Ao perceber que o homem deixava o prédio pelo telhado, o vigilante deteve o suspeito e acionou a Polícia Militar.

“Fomos acionados por uma pessoa que informou que um estabelecimento comercial no Centro estaria sendo furtado. Detivemos o suspeito, que estaria saindo pelo telhado”, conta Pedroso. O homem declarou aos policiais que estaria procurando um lugar para dormir, mas a história não convenceu os policiais, que fizeram a prisão em flagrante por furto.

O que a testemunha que acionou a polícia não imaginava, entretanto, é que ele mesmo também era procurado pela Justiça. “Qualificamos os envolvidos e, ao checarmos o solicitante, ele constava como procurado pela Justiça por atraso de pensão alimentícia. Ele não sabia, até pelo fato de o mandado ser recente”, disse Pedroso.

Prisão e liberdade

Ambos foram imediatamente detidos e levados à Central de Polícia Judiciária, que registrou as ocorrências. Ambos foram presos. O vigilante seria levado à cadeia de Santa Rosa do Viterbo e o ladrão passaria por audiência de custódia nesta quarta-feira e responderá por furto qualificado.

A reportagem  conversou com advogado Alexandre Durante, especialista em direito penal. Segundo ele, a tendência é que o acusado pelo furto seja liberado.  “Como a qualificação foi de furto qualificado, o juiz pode soltar, mas com algumas restrições ou até mesmo fiança. Já o rapaz que deve a pensão, se não pagar, sem chance de ser solto”, disse.