Tribunal do Júri julga acusado pelo homicídio de Rian no dia 25

Ele responderá por homicídio triplamente qualificado, quando há motivo específico para a morte

Rian antes da agressão e durante a internação - Foto: Redes Sociais

O Tribunal do Júri vai julgar, na próxima sexta-feira (25), Donizete Alfredo Bosco Campos, 29, por homicídio triplamente qualificado, em Jardinópolis . Ele é acusado de matar Rian Augusto Rosa, 18.

Rian teve seu óbito confirmado em 29 de julho de 2019, na Santa Casa de Batatais, após permanecer dez meses em estado vegetativo. Ele havia sido espancado por Donizete, em setembro de 2018, devido a, conforme testemunhas, um relacionamento com o namorado do agressor, Kayê Mendes Ribeiro.

O crime aconteceu em frente a uma escola na cidade de Jardinópolis.

O caso

Segundo o Ministério Público (MP), Rian caminhava para o ponto de ônibus em frente à escola que estudava, quando Donizete o chamou. Então ele foi atacado com chutes e pontapés e ficou gravemente ferido.

A vítima já tinha sido ameaçada por meio de trocas de mensagens nas redes sociais. Depois ser alvo da violência, o jovem ficou em estado vegetativo por dez meses e não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo testemunhas, o motivo do crime foi uma relação de Rian com o ex-namorado de Campos, Kayê Mendes Pinheiro dos Santos. Santos também chegou a ser preso pela justiça. Contudo foi solto em dezembro 2019.

O MP afirma que Kayê estava dirigindo o carro que transportou o agressor até o local, por isso, ele foi indiciado como co-autor do crime.

O que é Tribunal do Júri?

O Tribunal do Júri é composto por membros da sociedade que atuam como juízes do caso. A modalidade de julgamento está prevista no Constituição Federal brasileira e é usada para julgar crimes em que se teve a intenção de violar a vida de alguém.

Ele é formado por sete pessoas que são escolhidas que condenam ou absolvem a pessoa julgada. Há a presença também de um juiz togado, mas ele tem a função apenas de organizar os trabalhos.

Nenhuma postagem para exibir