Suspeito de assassinar maquiadora transexual vira réu na Justiça

O suspeito também teve a prisão temporária convertida para preventiva

Alice Garrefa, transexual encontrada morta em Americana - Foto: Redes Sociais

José Martins Ayres Júnior, de 55 anos, virou réu na Justiça pelo assassinato da maquiadora transexual Alice Garrefa, que desapareceu no dia 3 de agosto e foi encontrada morta em um rio na região de Campinas.

O suspeito também teve a prisão temporária convertida para preventiva. A Polícia Civil, mesmo não concluindo o inquérito sobre o caso, encaminhou um relatório ao Ministério Público, que foi remetido à Justiça e a denúncia foi acatada.   

Histórico

Natural de Sertãozinho, Alice Garrefa foi vista com vida pela última vez em um motel na avenida Barão do Bananal na companhia de um homem. O casal permaneceu no local por cerca de dez minutos e, depois, ela não foi mais vista. A família e amigos chegaram a fazer uma campanha nas redes sociais pedindo informações para localizar a travesti, mas sem sucesso.

A Polícia Civil chegou até o corpo depois de ser alertada por populares. O Instituto Médico Legal (IML) de Americana fez a identificação do corpo, que foi identificado com as mãos para trás. Não foram divulgados mais detalhes sobre a causa da morte.

Nenhuma postagem para exibir