Região de Ribeirão Preto reduz homicídios, estupros e furtos em maio

Roubos em geral, de carga e de veículo também caíram; no período não foram registrados casos de roubos a banco e extorsão mediante sequestro

Foto: Pixabay
A região de Ribeirão Preto terminou o mês de maio com redução nos homicídios dolosos, estupros e em todas as modalidades de furtos. Também houve queda nos roubos em geral, de carga e de veículo. No período, não foram registrados casos de roubos a banco e de extorsão mediante sequestro.
No quinto mês do ano houve quatro ocorrências e uma vítima a menos de morte intencional. Em igual período de 2019 foram registrados 22 boletins com uma vítima cada. As taxas dos últimos 12 meses (de maio de 2019 a abril de 2020) caíram para 5,82 casos e 6,04 vítimas a cada 100 mil habitantes.
A tendência de queda também atingiu o indicador de estupros, que recuou 38,6%, passando de 83 para 51 – 32 casos a menos. Em contrapartida, em maio, na região, houve uma ocorrência e uma vítima de roubo seguido de morte – no quinto mês do ano passado, nenhum registro havia sido contabilizado.

Roubos e furtos

Os furtos de veículos caíram 42,6%, passando de 432 em maio de 2019 para 248 no mês passado (184 a menos). O indicador de furtos em geral alcançou o menor número da série histórica para o período. Com recuo de 42,8%, a soma passou de 3.353 para 1.918 – uma diferença de 1.435 casos.
A tendência se estendeu para os roubos em geral e de veículo. O primeiro diminuiu 51,7%, com 252 boletins registrados em maio deste ano, contra 522 em igual mês do ano anterior – 270 a menos. Já o segundo, reduziu 53,6%, passando de 97 para 45 (52 a menos). Os totais são os menores da série.
No período, houve quatro ocorrências a menos de roubo de carga. No quinto mês de 2019 foram registrados 12 boletins deste crime.
Pela terceira vez consecutiva, não foram contabilizados roubos a banco na região. Semelhante aconteceu com o indicador de extorsão mediante sequestro, que ficou zerado pela sexta vez consecutiva.
 

Produtividade

O trabalho das polícias paulistas, na região, em maio, resultou em 1.015 prisões e na apreensão de 85 armas de fogo ilegais. Também foram registrados 450 flagrantes por tráfico de entorpecentes