Reprodução/Instagram

A Polícia Civil de Minas Gerais solicitou à Justiça uma medida protetiva para a Natália Deodato, do “BBB22“, que teve um vídeo íntimo vazado nas redes sociais na noite de terça-feira (18). As informações são do g1.

Segundo a reportagem, o suspeito de ter divulgado as imagens é um homem de 39 anos. A medida protetiva em casos de crime cibernético é para que o suspeito retire o conteúdo vazado do ar e não publique mais o material relacionado à vítima.

Assim que o vídeo foi vazado, a equipe de Natália se pronunciou nas redes sociais informando que tomaria todas as providências cabíveis em relação ao crime.

A família de Natália procurou a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, em Belo Horizonte, para registrar um boletim de ocorrência.

A Polícia Civil recebeu a denúncia, ontem (18/1) à noite, na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, em BH, e foi instaurado procedimento investigatório para apuração dos fatos. O suspeito, de 39 anos, é investigado por injúria, mas os trabalhos policiais seguem em andamento para identificar eventuais crimes praticados no âmbito da violência doméstica. A autoridade policial, responsável pela investigação, requereu medida protetiva para a vítima ao Judiciário”.

Divulgar cena de sexo ou pornografia sem consentimento da vítima é crime, de acordo com a lei nº 13.718, de 24 de setembro de 2018, passível de pena de reclusão de 1 a 5 anos, se o fato não constitui crime mais grave.

Ainda segundo o g1, o suspeito de ter divulgado o vídeo íntimo de Natália já havia ameaçado mostrar as imagens há cerca de dois anos. No entanto, a ameaça só foi cumprida agora, após a entrada de Natália no “BBB22”.

Informações: MSN