Polícia Militar ganha dois drones para combate ao crime na região

No total, PM recebeu 100 equipamentos para ações preventivas e de inteligência; eles serão integrados com o Centro de Operações da PM

Equipamento de drone será usado pela Polícia Militar de Ribeirão - Foto: Divulgação/SSP

A Polícia Militar de Ribeirão Preto irá receber do governo dois drones, a serem utilizados em ações de monitoramento de presídios. As duas unidades integram um investimento do governo estadual, que destinou cem aparelhos para a PM. Os dronepol, como são chamados, vão auxiliar as atividades policiais por meio da captação de imagens em tempo real com transmissão direta ao Centro de Operações da PM (Copom) e ampliar o programa lançado em abril.

A licitação para a compra dos equipamentos – marca DJI e modelo Mavic 2 zoom – começou em junho e terminou em setembro. Para a aquisição, com investimento de R$ 3 milhões, foram realizados testes de voo, aferição do tempo de duração da bateria, comandos e resposta dos drones e acionamento do retorno de emergência, entre outros.

Além das 100 aeronaves básicas, foram adquiridos mais cinco drones DJI Matrice 210 V1- Kit Avançado – que totalizaram R$ 1,2 milhão. Neste caso, o processo está em fase de cumprimento do prazo de entrega, previsto contratualmente para 120 dias a contar de 16 de outubro de 2019.

Utilização

Os novos equipamentos serão usados em todas as regiões do estado, possibilitando a captação, transmissão, gravação e gerenciamento de imagens de interesse da Segurança Pública. A medida permite que o material seja retransmitido em tempo real ao comando da Polícia Militar para análise e estratégia adequada de abordagem e atuação em cada ocorrência.

Equipamento de drone será usado pela Polícia Militar de Ribeirão – Foto: Divulgação/SSP

O sistema também pode ser utilizado em missões de inteligência e operações, monitoramento de grandes eventos, reintegrações de posse, controle de distúrbios civis e manifestações.

A captura e a transmissão das imagens com a utilização de drones podem ser feitas por via aérea, por meio de antena com a utilização de um helicóptero Águia; e via terrestre, por meio de streaming ao vivo retransmitidos por sistema de rádio em veículos policiais.

A unidade policial deverá ter um núcleo de operação composto por no mínimo cinco policiais – um oficial até o posto de capitão e quatro praças, com até 20 anos de serviço. Os PMs devem concluir o Curso de Especialização de Operador de RPAS, que é oferecido pelo Comando de Aviação da PM e tem duração de quatro semanas.

Atualmente, a Polícia Militar conta 76 núcleos habilitados para operacionalização dos drones e há 337 PMs aptos a operar os equipamentos no Estado. Para 2020, há a previsão de mais seis cursos de formação de pilotos de drones, totalizando 180 PMs. As aulas devem ter início em março.

Nenhuma postagem para exibir