Perdeu, vovó | Idosos caem em golpe do bilhete premiado em Ribeirão; prejuízo supera R$ 240 mil

Crimes aconteceram na zona Sul da cidade; até o momento ninguém foi preso e Polícia Civil investiga os casos

Uma aposentada de 79 anos perdeu R$ 200 mil ao cair no golpe do bilhete premiado nesta segunda-feira (25), na zona Sul de Ribeirão Preto.

A aposentada conta que no último dia 20 foi abordada por um homem na Avenida João Fiúsa e que ele pediu informações sobre o endereço de um depósito de materiais de construção, alegando não ser morador de Ribeirão.

Durante a abordagem, o suspeito mencionou ter sido premiado com um bilhete no valor de R$ 200 mil, mas alegou não estar com a documentação necessária para fazer a retirada do dinheiro.

A vítima teria dito que possuía o valor do bilhete em sua conta bancária. Nesse momento, como parte do esquema, teria chegado um segundo homem “muito solicito” na intenção de levar a aposentada até o banco, para ela comprovar que tinha o dinheiro e que não ficaria com o valor do bilhete. 

A dupla conduziu a vítima até uma agência bancária da rua Duque de Caxias, onde ela sacou R$ 5 mil, entregou aos autores e ainda programou para esta segunda-feira (25) um saque de mais R$ 195 mil.

Nesta data, às 11h30, o trio voltou a se encontrar em frente a um banco da Avenida Presidente Vargas, onde a vítima entregou o resto do valor aos suspeitos. Na sequência, um dos homens solicitou que a aposentada entrasse em uma farmácia para comprar um remédio de dor de cabeça para ele.

Ao sair do estabelecimento, os homens teriam sumido e só aí a vítima se deu conta de que caiu em um golpe.

Ação comum e perigosa

Também nesta segunda, por volta das 15h30, uma senhora de 75 anos perdeu mais de R$ 44 mil ao cair no mesmo golpe. Ela foi abordada por uma mulher na Avenida José Adolfo Bianco Molina, no Jardim Irajá.

Segundo a Polícia Civil, a suspeita, que ainda não foi identificada, iniciou uma conversa com a vítima perguntando sobre um endereço. Ao alegar que não sabia onde era o endereço apareceu um homem disposto a ajudar.

Na conversa entre os três, a suspeita mencionou ter um bilhete premiado de R$ 7 milhões e que venderia parte do prêmio para a idosa, como forma de agradecimento pela ajuda.

Entre depósitos, compra em dólares e transferências bancárias, a vítima perdeu R$ 44 mil e 100 reais que foram entregues a autora. Durante a negociação, a autora disse que precisava ir a um banheiro e, acompanhada do homem, desapareceu.

Para se prevenir

O tenente coronel da Reserva da Polícia Militar e especialista em segurança Marco Aurélio Gritti diz que ações desse tipo são muito comuns, mas as pessoas por vergonha acabam não registrando boletim de ocorrência.

Ele diz ainda que os golpistas acreditam na boa vontade da pessoa e abordam normalmente idosos em saídas de bancos e supermercados por estarem mais distraídos. “Os criminosos não agem sozinhos, andam em duas ou três pessoas. Primeiro um deles faz a abordagem e depois os outros param para ajudar.”

Para não cair nesses golpes, Gritti orienta é preciso desconfiar das propostas muito milagrosas, de histórias com muitos detalhes que fogem da normalidade e pedir ajuda de um funcionário, seja no banco ou na lotérica. Ele diz ainda que a pessoa deve sempre ligar para avisar alguém caso esteja indo em algum lugar com o estranho.

“Jamais a pessoa deve se deslocar até a residência com os golpistas, porque assim fica muito exposto. Nunca passar dados, nomes de parentes e filhos, nem por telefone e muito menos pessoalmente”, conclui ele.

Nenhuma postagem para exibir