Vídeo mostra confronto entre a PM e torcida organizada do Comercial durante o Come-Fogo

PM acusa a Mancha Alvinegra de tentar invandir o estádio Santa Cruz; agremiação nega e fala em truculência

Integrantes de uma torcida organizada do Comercial entraram em confronto com a Polícia Militar durante o clássico Come-Fogo, disputado na última terça-feira (27). A PM afirma que os torcedores tentaram invadir o estádio Santa Cruz, onde o jogo foi disputado, e agrediram um policial. A agremiação nega!

Em nota, a Secretaria estadual de Segurança Pública informou que, após a tentativa de invasão, os policiais foram alvos de objetos arremessados pelos torcedores e que um dos agentes responsáveis pela segurança foi agredido no rosto.

Também por nota, a Mancha Alvinegra declarou que tinha um acordo com a Polícia Militar para acompanhar a partida de futebol, que não teria sido respeitado pela corporação. De acordo com a torcida organizada, seus integrantes foram proibidos de entrar no estádio com materiais e camisetas da agremiação e, com isso, decidiram ficar do lado de fora.

Confira, na íntegra, a nota da PM:

Na verdade, o que ocorreu foi uma tentativa de invasão ao Estádio, por parte de uma torcida Organizada do Comercial, seguida de agressão aos policiais militares, com isso houve a necessidade de intervenção tática e força física

necessária para restabelecimento da ordem pública. Cabe destacar que durante a ação houve ainda arremesso de objetos nos policiais militares que trabalhavam no policiamento do local, o que teria sido feito por torcedores que estavam no interior do Estádio.

Um Policial Militar foi agredido no rosto por alguns indivíduos da torcida organizada já mencionada. Devido ao tumulto gerado não foi possível a detenção de qualquer pessoa envolvida.

Ressaltamos que a missão da Polícia Militar do Estado de São Paulo é proteger as pessoas, fazer cumprir as leis, combater a criminalidade e preservar a ordem pública, sempre contando com a colaboração, parceria e participação da comunidade, para a excelência na prestação dos serviços.

Confira, na íntegra, a nota da Mancha Alvinegra:

O Grêmio Recreativo Torcida Mancha Alvinegra vem manifestar o seu repúdio ao 51BPMi (batalhão de polícia militar) pelo descaso praticado antes, durante e depois do jogo entre Botafogo S/A x COMERCIAL válido pela Copa Paulista no dia 26 de julho de 2022, antes de tudo queremos relatar que fomos intimados para uma reunião preparatória no dia 21 de julho juntamente com outras torcidas da cidade e o batalhão responsável pelo jogo.

Na reunião ficou decidido em comum acordo, uma logística de escolta pela polícia militar e também a liberação dos materiais da MANCHA ALVINEGRA com o mando do ofício, da nossa parte cumprimos de todas as formas o combinado com a PM, nossa diretoria se fez presente no dia da reunião mesmo todos perdendo horário de trabalho e afazeres, porém não tivemos o mesmo comprometimento da Polícia Militar, chegamos e saímos sem escolta nenhuma.

Ao chegarmos no portão principal do setor visitante, fomos noticiados pelos policiais que não seria liberada a entrada com nenhum material da MANCHA ALVINEGRA,  reiteramos que a todo momento tentamos algum contato com o responsável pelo policiamento e não tivemos nenhuma resposta, só alegaram que não poderíamos entrar.

Acatamos e resolvemos ficar para fora do estádio cantando e apoiando nosso time, durante todo esse tempo percebemos a truculência e o tratamento dos policiais com mulheres e crianças que estavam vestidos com nossos materiais, a certo momento parte dos PMs chegaram a dizer as mulheres que se quisessem entrar no estádio só seria permitido se tiram-se nossos materiais e entrassem de roupas íntimas, sabemos e temos consciência que casos como estes não se resolvem com violência, porém todo este estopim foi causado pela polícia militar que ali estava operando, não vamos carregar a culpa do ocorrido sozinhos.

Veja o vídeo:

Nenhuma postagem para exibir