Operação prende delegado, policiais civis e vereador na região de Ituverava

Seis pessoas são acusadas de operarem um esquema para obter vantagem financeiras na restituição de bens apreendidos

Operação do Gaeco prendeu delegado, policiais e vereador na região de Ituverava
Continua depois da publicidade

Um delegado, cinco policiais civis e um vereador foram presos, na manhã desta quinta-feira (5), em Ituverava e, uma operação coordenada pelo  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público (MP), em conjunto com a Corregedoria da Polícia Civil.

Na chamada Operação QSJ, houve cumprimento a oito mandados de busca e apreensão naquele município e em Cristais Paulistas, Guará e Sacramento (MG). Segundo o MP, o vereador João Batista Nogueira (PSDB), o João do Guincho, e o delegado João Paulo de Oliveira Marques, foram alvos de mandados de prisão temporária.

Investigações

As investigações realizadas pelo Gaeco apontaram que policiais civis lotados em Ituverava, Guará e Rifaina integraram esquema criminoso com o objetivo de obter vantagens financeiras indevidas ao restituir bens como animais, tratores e caminhões às vítimas de furto. Eles indicavam, com a conivência do delegado, os serviços de João do Gincho.

O vereador era proprietário de um estabelecimento comercial que transportava veículos apreendidos. Ele está sendo investigado por fazer pagamentos a policiais em troca de indicação de seus serviços. A designação da operação é inspirada na linguagem Q-Code (comunicações de radiofrequência), muito utilizada pela polícia, e se refere a dinheiro.

Nenhuma postagem para exibir