Operação da Polícia Civil de Barretos prende envolvidos em furtos de veículos na região

Operação "Desmonte" cumpriu mandados de prisão e de busca em sete cidades paulistas e uma em Minas Gerais

Imagem ilustrativa de uma viatura da Polícia Civil - Foto: Rede social

A Polícia Civil de Barretos, por intermédio da DIG/DISE, com apoio integral da Diretoria Departamental do DEINTER-3 e com suporte da DEIC (Divisão de Investigações Criminais de Ribeirão Preto), das Delegacias Seccionais de Ribeirão Preto, Franca, São Joaquim da Barra, Bebedouro, São Carlos e Araraquara e da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, desencadeou, nesta segunda-feira (26/10), a Operação “Desmonte”, destinada a prender diversos  suspeitos de pertencerem a uma organização criminosa destinada à prática de furtos qualificados de veículos, receptações e adulterações de sinais identificadores de veículos automotores.

A investigação teve início há cerca de um ano, a partir do furto de um veículo VW/GOL ocorrido em Barretos. Com base em levantamentos realizados por meios de recursos tecnológicos de investigação, foi possível identificar os autores do crime e, com o aprofundamento das investigações, apurou-se a existência de uma complexa organização criminosa destinada a subtrair veículos, receptá-los, adulterá-los e depois vendê-los.

Entre outubro de 2019 e janeiro de 2020, os criminosos praticaram, pelo menos, nove furtos de veículos apenas na cidade de Barretos, muitos deles na região próxima a um hospital para tratamento de câncer existente no município. Das investigações, concluiu-se que os criminosos adquiriam um veículo batido, capotado ou queimado, sem nenhuma restrição no chassi ou motor, por um preço baixo. Em seguida, os criminosos furtavam ou encomendavam um veículo furtado com as mesmas características do veículo que eles compraram. Depois, desmontavam as peças veículo furtado, remontando-as noo veículo que eles compraram, mantendo intactas a numeração do chassi e motor. Por, fim, após o veículo estar devidamente montado, revendiam pelo valor de até oito vezes o preço que pagaram no veículo batido, capotado ou queimado.

No decorrer das investigações, foi descoberto na cidade de Guaíra, um “cemitério” de veículos. Os criminosos usavam este local para retirar as peças dos veículos furtados. Com base nas informações levantadas pelos investigadores, a autoridade policial que presidiu os trabalhos investigativos solicitou à Justiça 34 (trinta e quatro) mandados de busca e apreensão e 20 (vinte) mandados de prisão contra os possíveis membros da citada organização criminosa. Os mandados foram deferidos pela Justiça, após concordância do Ministério Público e serão cumpridos nas cidades paulistas de Franca, Guaíra, Ituverava, Jardinópolis, Miguelópolis, Ribeirão Preto e Sales Oliveira, além da cidade mineira de Sacramento, sendo cumpridos na data de hoje por cerca de 90 (noventa) policiais civis.

Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa, furto, receptação e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Maiores informações serão prestadas em entrevista coletiva, concedida pelo Delegado Seccional de Polícia de Barretos, Dr. José Luiz Ramos Cavalcanti, às 09h30min, na Delegacia Seccional de Barretos.

Nenhuma postagem para exibir