Mulher suspeita de morder filha no rosto é presa em Ribeirão Preto

Criança de 1 ano e 4 meses permanece internada no HC-UE

Uma mulher de 25 anos foi presa, em flagrante, acusada de morder a bochecha da filha, de 1 ano e 4 meses, no Ipiranga, zona Norte de Ribeirão Preto. Ação aconteceu na tarde de terça-feira (24), na casa da família, na rua Coronel Américo Batista.

Segundo um dos policiais militares que atendeu a ocorrência, a criança foi encontrada com hematomas no rosto depois de uma discussão entre a mãe e o pai. Socorristas do SAMU constataram que as lesões eram decorrentes de mordidas e levaram a menina para Unidade de Pronto de Atendimento (UPA) da avenida Treze de Maio. “Nossa equipe foi chamada para averiguar uma briga de casal e, ao chegar na residência, localizamos a garotinha machucada. Imediatamente pedimos o apoio do resgate para prestar os primeiros socorros e averiguar a gravidade do ferimento”, afirmou o cabo da Polícia Militar, Luciano Naves.

Questionada pela equipe, Liliani Batista Siqueira Campos, confessou o crime e afirmou ter mordido a filha porque foi agredida pelo marido e cunhado. Os três envolvidos foram levados para a Delegacia da Mulher (DDM) e presos pela autoridade de polícia civil. O pai e o tio da criança passaram por uma audiência de custódia na tarde desta quarta-feira (25), no Fórum de Ribeirão Preto, mas o resultado não foi divulgado. Liliani foi transferida para a Penitenciária Feminina de Franca.

Durante o atendimento na UPA, a criança precisou ser transferida para a Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HC-UE), onde passou por exames e permanece internada em estado estável. Após receber alta médica, a menina deve ficar sob responsabilidade dos avós maternos por tempo indeterminado.

Procurada, a delegada de defesa da mulher, Luciana Renesto, não se pronunciou sobre a ação.

Segundo caso

De acordo com o boletim de ocorrência (B.O), em julho de 2018, a mesma mulher foi presa pelo mesmo crime, após desferir várias mordidas pelo corpo da filha, na época com menos de 1 ano de vida. Na ocasião a acusada chegou a ser levada para a delegacia, mas foi liberada durante uma audiência de custódia realizada no dia seguinte.

Solidariedade

Segundo a PM, no momento da ocorrência fazia frio na cidade e a criança estava sem roupa, motivo pelo qual a equipe se uniu para auxiliar, mais uma vez, a situação. “Nós passamos em uma loja próxima do local e compramos algumas roupas para a garotinha, ela aparentava estar com muito frio. Só desejamos que fique tudo bem”, concluiu Naves.

 

Nenhuma postagem para exibir