Mulher é morta pelo próprio filho em Ribeirão Preto

A vítima foi estrangulada dentro de casa

Foto: Lúcio Mendes
Continua depois da publicidade

Vítima de latrocínio – roubo seguido de morte -, a técnica em enfermagem Célia Pereira Macaroff, 60, foi encontrada na residência por uma irmã, já sem vida e com sinais de agressões pelo corpo, sexta sexta-feira (4), no bairro Antônio Marinceck, zona Norte de Ribeirão Preto.

Tentando contato e não obtendo respostas, a parente foi até o imóvel localizado na confluência das ruas Javari com José Martins de Barros Júnior e deparou com o corpo no interior do imóvel.

A Polícia Militar foi imediatamente chamada e, chegando no local, acionou a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) preservando o perímetro para o trabalho da perícia técnica.

Os policiais civis rapidamente foram informados por parentes sobre a suspeita do crime hediondo ter sido cometido por alguém próximo da vítima, no caso, o próprio filho, com relatos de envolvimento no consumo de drogas.

Ele não estava na casa quando o cadáver foi descoberto. Um dos veículos da vítima, um Fiat Mobi, também não estava estacionado na garagem.

Um “alerta geral” com informações das placas foi comunicado e, horas depois, localizado por policiais militares em diligências na rua Japurá, Ipiranga, na mesma região da cidade.  

Dois indivíduos foram detidos com o veículo, Wesley Urbano Mendes Miguel,20, e o menor WGBS (17) e relataram a participação direta na ação criminosa do próprio filho da vítima, Fernando Pereira Macaroff, 36, preso logo em seguida.

Fernando e os dois comparsas, segundo informações da PM, foram surpreendidos consumindo drogas na casa por Célia, quando retornou do trabalho e, ao reagir diante da situação, discutiu com o trio e foi estrangulada.

Os policiais apreenderam no carro documentos, roupas e R$ 400 em uma mochila de Fernando, indicando uma possível tentativa de fuga. Os criminosos admitiram, então, a prática do crime.

Os latrocidas foram presos em flagrante, o menor apreendido e todos levados para a Central de Flagrantes da DEIC na região Central da cidade, onde a ocorrência foi registrada.

Em rede social, familiares comentaram sobre a expectativa em relação ao laudo pericial, que poderia apontar também para evidências de envenenamento da vítima.

Célia Pereira Macaroff foi sepultada no Cemitério Bom Pastor, na zona Leste do município.

  • * Por uma falha de identificação, foi postada uma foto que não pertencia à vítima. A imagem foi trocada.

Nenhuma postagem para exibir