Jovem com deficiência sofre segundo assalto em cinco meses

Suspeito levou a mochila com um tablet e notebook; aparelho auditivo ficou danificado

Felipe, 21, teve a sua mochila levada e o aparelho auditivo danificado. Foto: Lucio Mendes

O jovem Felipe Fernandes Oliveira Bernardes, 21, foi assaltado na noite desta terça-feira (13) em um ponto de ônibus, no bairro Sumarezinho. O assaltante levou a mochila com um tablet e notebook e o aparelho auditivo foi danificado durante reação do Felipe durante o roubo. O rapaz possui deficiência visual e auditiva e já havia sofrido um assalto há cinco meses, na época foi levado o celular e o notebook dele.

Continua depois da publicidade

Segundo Sirlei Fernandes, avó do Felipe, ele estava em um ponto de ônibus quando um homem aproximou e puxou a mochila da vítima. O suspeito ainda bateu com uma barra de ferro em Felipe, que reagiu com a bengala, mas o assaltante pegou a bengala e jogou para longe. Nesse momento, Felipe gritou e os moradores da rua socorreram o rapaz.

No momento da reação, o aparelho auditivo de Felipe foi atingido e sobrou apenas a bateria. Para o rapaz essa foi a maior perda dele, pois foi levado a sua mochila com um notebook e um tablet. “Eu me sinto bem assustado porque não tenho mais o aparelho para escutar. Ele poderia levar tudo, menos prejudicar meu aparelho”, contou Felipe.

Aparelho da Inglaterra

A avó contou que o aparelho foi feito na Inglaterra, pois ele precisava de um tipo específico que aqui no Brasil não tem. “Ele faz tratamento no Hospital das Clínicas (HC) desde pequeno, mas não havia o aparelho que ele precisava. Então o pai dele, que é pedreiro na Inglaterra, o levou para o país e conseguiu o aparelho”.

A família de Felipe, mãe, quatro irmãos mais novos e pai, mora na Inglaterra. O rapaz tinha dificuldade para aprender inglês, então decidiu ficar no Brasil com a avó. “Felipe é muito esforçado porque ele quer ser independente. Ele trabalha em um supermercado e faz supletivo a noite. Ele quis ficar aqui para ter uma vida normal, mas não consegue”, disse a avó.