Homem que matou ex-mulher a marretadas também matou padrasto da vítima

Mulher foi morta na segunda-feira (21); autor, que se matou, tinha duas condenações por homicídio

Job Luiz de Melo, 61, que se suicidou depois e matar, com marretadas, a ex-mulher, Claudineia Maria da Silva, de 38 anos, na frente dos filhos dela, na segunda-feira (21), em Sertãozinho, já havia sido condenado por dois homicídios, entre eles a morte do padrasto de Claudineia.

Segundo o delegado Targino Osório, que apura o caso, Melo foi condenado por um homicídio cometido em Piedade, em 1994, a 29 anos de prisão e, em 2007, matou o padrasto de Claudineia em Descalvado.

“Aconteceu em 2007, e ele respondeu ao processo em Leme. Pegou 13 anos. Esse último, tenho informações de que a vítima era padrasto da Claudineia, a [vítima] que ele matou ontem”, afirma o delegado.

O caso

Segundo a Polícia Civil, a Polícia Militar encontrou a vítima já sem vida, por volta das 10h, na casa onde ela morava, na Rua Pedro Canesin. Melo matou a ex-mulher na frente dos três filhos, dois adolescentes e uma criança. Um deles é filho do próprio homicida, segundo Osório.

Foram os filhos da vítima que conseguiram pular o muro da casa e chamar a Polícia Militar. Antes que o socorro chegasse, entretanto, ele se enforcou. Houve tentativa de reanimação, mas o homem acabou morrendo no local.

Morte cruel

De acordo com a Polícia Científica, foram pelo menos sete golpes de faca na região do pescoço da vítima, parte delas na nuca, o que reforça a tese de que Claudineia foi atacada pelas costas e não teve consciência dos golpes antes que eles ocorressem.

O corpo de Claudineia foi enterrado nesta segunda-feira.