Homem é executado no Parque das Figueiras em Ribeirão

o que se sabe é que a vítima estava do lado de fora, então duas pessoas chegaram e efetuaram os disparos

Homem executado nesta quarta-feira (16) em no Jardim das Figueiras, RP

Wendell Almeida, 29, foi executado em frente à própria residência, no Parque das Figueiras, em Ribeirão Preto. O rapaz foi atingido por 20 disparos e morreu na hora, não há informação de mais feridos. A polícia trabalha com a informação de que a morte é ligada com a guerra do tráfico, apontada por exclusividade pela Thathi.

O crime aconteceu no cruzamento da rua Guido Zanello com a rua Artur Fracardosso. O local foi isolado pela polícia militar e aguarda a chegada das polícias civis e científicas.

Os policiais militares já iniciaram os procedimentos iniciais de investigação. Por meio de um levantamento de imagens, segundo o tenente Daltoso da Polícia Militar, em entrevista ao Grupo Thathi tudo leva a crer que os disparos foram direcionados unicamente para a vítima.

“Os disparos tudo leva a crer que era para a vítima, que esse amigo que estava conversando com ele, em momento algum da filmagem a gente consegue verificar que houve uma tentativa de acertá-lo”.

O que se sabe?

Até agora, o que se sabe é que a vítima estava do lado de fora, soltando pipa e conversando com um amigo, beneficiado pela saída provisória, então duas pessoas chegaram e efetuaram os disparos.

Os homens teriam estacionado um carro próximo ao local do crime e foram caminhando até local onde a vítima estava e fizeram os disparos. O rapaz estava conversando com um amigo que estava em saída provisória

Ainda segundo a polícia, a corporação recebeu uma primeira ligação relatando uma troca de tiros que teria ocorrida na Luiz Galvão César. As viaturas fizeram o patrulhamento, mas não encontraram nada.

Tempos mais tarde, receberam a informação mais precisa e foram até o local.

Guerra de facções

Em janeiro a Thathi revelou com exclusividade uma disputa, na Zona Oeste entre as facções do Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV). O local da disputa, inicialmente, seria o Parque Ribeirão e o Jardim Progresso, conhecidos por serem tradicionais pontos de venda de entorpecentes.

A matéria foi veiculada em função de vídeos e áudios que circulavam nas redes. Nas imagens, por exemplo, é possível ver armas de grosso calibre e ameaças de mortes.

O enfrentamento entre facções teve início em setembro de 2020, com a execução de três homens no alpendre de uma casa no Jardim Progresso. Um dos que foram mortos era líder de um grupo paulista, então membros da organização juraram os executores de morte e então procuraram o CV propondo uma aliança e em busca de proteção.

Nenhuma postagem para exibir