Filho tenta matar o pai com golpes de chave de fenda em Jaboticabal

Bruno Cardoso Ros de Jesus Camillo, 30, é acusado de atacar o próprio pai no último dia 11

Um homem de 49 anos foi quase morto pelo filho em Jaboticabal. Bruno Cardoso Ros de Jesus Camillo, 30, é acusado de atacar o próprio pai, Carlos André de Jesus Camillo, 49, com uma chave de fenda, no último dia 11.

Durante as agressões, a vítima começou a gritar por socorro. Dois familiares que estavam no local, conseguiram ajudá-lo. “Eles [primo e prima] vieram correndo. Eu já tinha caído da escada quando os demais golpes atingiram minha mão, punho, cabeça, nuca e rosto. Minha prima segurou ele pela camisa, foi onde eu consegui sair correndo para a rua pedindo para que ligassem para a polícia militar”.

Logo após a PM ser acionada, o suspeito fugiu do local. Contudo, foi encontrado e encaminhado ao Plantão Policial, onde teve sua prisão em flagrante decretada.

Já Carlos André, recebeu um atendimento preliminar ainda  rua Expedicionário, e foi encaminhado para o atendimento de saúde. Quando chegou ao hospital, foi medicado e, em seguida, liberado.

O pai já possuía uma medida protetiva contra o filho, isso porque este não foi o único ataque sofrido. No primeiro, o jovem arremessou um tijolo no carro do responsável e o segundo, quebrou itens da casa da vítima.

O que motivou

Camillo filho acreditava que sua irmã e o pai teriam o denunciado ao Conselho Tutelar da cidade, pedido a guarda de seus filhos — uma recém-nascida e outra criança de três anos. Ele e a esposa são dependentes químicos.

Contudo, o órgão tomou a decisão após uma visita à residência do rapaz, motivada por um relatório produzido por uma médica do Hospital Municipal. Os conselheiros, quando chegaram à casa do casal, constataram que lá não havia condições saudáveis para que as duas crianças se desenvolvessem.

Em razão disso, a família materna foi procurada, entretanto, alegaram não ter condições de dar os cuidados necessários às crianças. Foi então que Carlos André assumiu a tutela dos netos, junto a sua filha.

A partir daí iniciaram as agressões. “Como eles [o casal] morava na casa que estava em meu nome, deixaram de pagar o aluguel para me prejudicar”, disse o pai do rapaz.

Nenhuma postagem para exibir