“Eu não estarei mais aqui”, afirma Thabata em mensagem de despedida

Thábata Gonzales, 34, foi encontrada morta em seu carro nesta quinta-feira (18)

Segundo a família de Thabata, eles receberam uma mensagem horas antes do corpo ser encontrado com uma espécie de despedida. A imprensa teve acesso ao conteúdo da mensagem na tarde desta sexta-feira (19).

“Mãe, busca as crianças assim que você acordar. Eles estão sozinhos e eu não estarei mais aqui.”, diz a mensagem enviada às 5h23 da madrugada. A mensagem continua e a mulher se despede também dos filhos.

Com o desenrolar do caso, os familiares acreditam que o verdadeiro autor da mensagem foi o ex-companheiro da vítima. O homem, Douglas Teixeira de 29 anos, se apresentou na tarde desta sexta-feira (19) junto com um advogado na Delegacia de Investigações Gerais em Franca. 

Segundo a polícia, Douglas matou a ex-companheira em casa no Jardim Piratininga e levou o corpo até a chácara onde foi encontrado.

O caso

O corpo de Tabata Gonzales, de 34 anos, foi encontrado na manhã desta quinta-feira (18), em uma chácara próxima à rodovia Tancredo Neves. Segundo informações da polícia, o corpo foi encontrado dentro do carro da vítima, ela estava no banco do passageiro e possuía um tiro na cabeça.

O principal suspeito do assassinato é o ex-marido, não identificado, da vítima, os dois estariam passando pelo processo de divrcio e o homem não aceitava o fim do relacionamento. A família explica que existia uma medida protetiva contra o homem, uma vez que Tabata já estava sofrendo ameaças há um tempo, no entanto, ela mesma teria retirado a queixa depois de um tempo.

Na madrugada desta quinta-feira (18) o ex-companheiro de Tabata a buscou na residência em que ela estava, localizada no bairro Piratininga, e os dois foram para a chácara dos pais dele. Familiares relatam que no caminho a vítima enviou uma mensagem em um grupo do whatsapp relatando que seria morta.

Horas mais tarde a vítima foi encontrada morta com um único tiro na cabeça, o autor do disparo é policial militar. O suspeito continua foragido e o corpo da vítima foi levado ao IML para depois ser liberado à família.

O caso é considerado feminicídio e segue em investigação. Tabata deixou duas filhas, uma do casal e outra de outro relacionamento.