Estado de São Paulo fecha o primeiro trimestre de 2022 com redução de homicídios e estupros

Número de casos e vítimas de latrocínios e os de roubo a banco também caíram no período

O Estado de São Paulo terminou o primeiro trimestre de 2022 com redução no número de casos e vítimas de homicídios dolosos, 5,1% e 5,2%, respectivamente, assim como nos casos de estupro (-1,5%), latrocínio (-2,3%) e roubos a banco, que caíram de 6 para 3 ocorrências.
No mês de março, o número de vítimas de mortes intencionais, bem como os casos e vítimas de latrocínios caíram. Também houve redução nos roubos a banco e de carga. Extorsões mediante sequestro permaneceram estáveis e a quantidade de prisões aumentaram.
O número de vítimas de homicídios dolosos caiu 1,2% no mês passado, em comparação com março de 2021, passando de 249 para 246 – o menor total desde 2001. O índice de casos, por sua vez, oscilou de 237 para 241.
Com os resultados, as taxas dos últimos 12 meses (de abril de 2021 a março de 2022) recuaram para 6,02 ocorrências e 6,32 vítimas de mortes intencionais para cada grupo de 100 mil habitantes. As duas somatórias são as menores da série histórica, iniciada em 2001.

 Os latrocínios seguiram a tendência de queda e apresentaram redução de três casos e três vítimas no terceiro mês deste ano, em comparação com igual período do ano anterior. Em ambas as situações, as quantidades passaram de 16 para 13. Os totais são os segundos menores da série.

 Na análise mensal, as ocorrências de estupro passaram de 1.035 para 1.214.
Outros indicadores
Em março deste ano, as ocorrências de roubos a banco e de carga também recuaram, se comparadas aos registros de igual mês, em 2021. 
Os roubos a banco caíram de 2 para 1 –  o menor total da série, enquanto os roubos de carga reduziram 3%, passando de 575 para 558 – a menor somatória desde 2011.

 As extorsões mediante sequestro, no entanto, permaneceram estáveis com um registro. Já os roubos em geral e de veículo subiram 21,4% e 36%, respectivamente. Em março deste ano, o primeiro contabilizou 21.278 casos e o segundo 3.482 registros.Os furtos em geral e de veículos também tiveram alta. O primeiro oscilou de 33.237 para 50.467 e o segundo passou de 6.301 para 8.296.
Produtividade
O trabalho das polícias paulistas, no estado de São Paulo, em março, resultou em um aumento de 9,23% na quantidade de prisões, em comparação com igual mês de 2021. A quantidade passou de 12.865 para 14.052.
No período, 971 armas de fogo ilegais foram retiradas das ruas e 2.914 flagrantes por tráfico de entorpecentes, registrados.

Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública

face
twitter

Nenhuma postagem para exibir