Empresário é indiciado por homicídio culposo de nove bombeiros

De acordo com o delegado responsável, Abreu não deveria ter permitido o acesso a gruta

Foto - Divulgação/PMESP

O dono da empresa Real Life, Sebastião Abreu, foi indiciado pela Polícia Civil, pelo homicídio culposo de nove bombeiros civis nessa quinta-feira (16), o desastre ocorreu na gruta Duas Bocas, localizada em Altinópolis, em outubro desse ano.

De acordo com o responsável pelo inquérito, o delegado Rodrigo Salvino Patto, Abreu não deveria ter permitido o curso na gruta por conta das condições climáticas na região durante o ocorrido. Ainda de acordo com o delegado, o inquérito já está em posse do Ministério Público.

A Perícia

No mês de novembro, a Polícia Civil disse não ter percebido quaisquer tipos de interferência humana no desabamento da gruta, um vez que os laudos da perícia feitos pela Polícia Científica apontavam que o acidente ocorreu em razão da perda de estabilidade de suas estruturas e pelas características da rocha.

A mesma justificativa aparece em um laudo que foi assinado por integrantes da Defesa Civil, geólogos e especialistas do Instituto de Pesquisas Ambientais (IPA) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Salvino afirmou na época, que a Polícia Civil do Estado de São Paulo, por meio dos depoimentos prestados pelos sobreviventes, compreendeu que o fato aconteceu por razão de um evento natural, e por causa disso, não seria plausível falar de responsabilidade criminal. Ele também salientou que isso não afasta a responsabilidade da empresa, ou seja, a obrigação dela de realizar um reparo ao dano causado direta ou indiretamente a todas às famílias das vítimas dessa tragédia.

Nenhuma postagem para exibir