Crimes de estelionato foram registrados nesta quinta-feira (5) em Ribeirão Preto

Em um dos casos, a vítima ficou sabendo que foi debitado de sua conta bancária o valor de R$ 2.882

Foto: Lúcio Mendes

A Central de Polícia Judiciária de Ribeirão Preto registrou várias ocorrências, nesta quinta-feira (5), em que vítimas reclamam de estelionato. Entre eles, a maioria dos criminosos agem pela internet. 

Uma mulher, 43, registrou o fato que ocorreu em 29 de novembro em que foi feito um empréstimo no seu nome em uma loja de roupas, em que ela possui o cartão e o aplicativo da mesma.

Segundo o boletim de ocorrência, o empréstimo não foi autorizado pela vítima, e quando foi procurar a loja, foi informada de que o empréstimo havia sido feito em uma agência bancária, mas os dados informados para a contratação e para depósito do dinheiro são da vítima. O valor retirado não foi informado.

O empréstimo não foi autorizado pela vítima, quando foi procurar a loja, ela recebeu a informação de que o empréstimo havia sido feito em uma agência bancária e que os dados informados da conta para o depósito não são da vítima.

Outro caso aconteceu na manhã de 6 de novembro e foi comunicado nesta quinta-feira (5), a vítima, 42, informou que foram emitidos boletos que somam a quantia de R$ 2.748,40 e que foram emitidos sem nota fiscal sem o consentimento da empresa da vítima.

Na data do fato, a vítima tomou conhecimento de que havia dois títulos nos valores de R$ 1.239,20, com vencimento para outubro deste ano.

A vítima, que é dono de uma empresa de alimentos, fez contado com o proprietário da empresa que gerou os boletos, mas não houve sucesso e nada foi resolvido.

Em um outro caso, uma mulher, 42, informou que em 3 de dezembro acessou um site de empréstimos, em que a sede é em São Paulo, e contratou um empréstimo no valor de R$ 5 mil, mas fez o contrato com a empresa no nome de sua mãe.

Depois de feita as tratativas para a contratação do empréstimo, a empresa enviou o número de duas contas correntes do mesmo banco, mas de agências bancárias distintas. Em uma delas, foi depositada a quantia de R$ 730, e na outra foi depositado o valor de R$ 729,99, totalizando R$ 1.459,99.

Após perceber que havia caindo em um golpe, resolveu registrar o boletim de ocorrência, e foi quando ficou sabendo que outra pessoa de Santa Bárbara do Oeste também havia caído no mesmo crime da empresa.

Desta vez, a vítima foi uma mulher, 60, ela comunicou o fato que aconteceu em 25 de novembro. Segundo o boletim de ocorrência, a mulher tomou conhecimento do crime através de uma mensagem de celular.

Ela recebeu uma notificação da agência bancária avisando que uma remessa com um cartão estava sendo enviado para o endereço de Travessa Jayme Cortez, no bairro Colina, em São Paulo, mas que a vítima não havia feito a solicitação.

Depois, ela descobriu que com esse mesmo cartão várias compras haviam sido feitas no débito e no extrato bancário dela foi debitado o valor de R$ 2.882. O endereço da remessa do cartão foi informado pela agência bancária.

Os casos serão investigados pela Polícia Civil.