Criança de três anos é baleada no Jardim Jandaia

Versões contraditórias não deixam claro os motivos da ocorrência

Imagem ilustrativa

Por volta das 21h30min de sábado (28), uma criança de três anos de idade deu entrada à UPA vítima de um disparo de arma de fogo. Segundo o boletim de ocorrência, ainda não se pode ter uma versão clara do episódio, já que as narrativas apresentadas pelas testemunhas são diferentes.  

A primeira versão deu conta que o incidente ocorreu num churrasco, na Rua Paranaguá 1550, no bairro Ipiranga, zona oeste de Ribeirão Preto. Pela narrativa apresentada, a criança, “brincando” com uma arma deixada em cima de um móvel da casa, provocou dois disparos, sendo um deles contra seu próprio corpo e outro atingindo de raspão uma terceira pessoa. A arma pertence a um homem conhecido como “Cuti”. Ele mesmo socorreu a criança, levando-a para UPA.  

A outra versão, dada pela mãe, diz que foi ao churrasco na referida rua e levou o filho consigo. Em dado momento, quando a criança brincava com um “amiguinho, ela ouviu o barulho do disparo e viu que o filho fora tingido e ficou caído no chão. Ela não suportou a emoção e desmaiou.  

A criança está internada no Hospital das Clínicas, Unidade de Emergência, e seu estado é estável. Policiais foram até o Hospital, ouviram a criança que disse ter levado o tiro disparado pelo “tio Branquinho”.  

A polícia enquadrou “Cuti” em crime de posse ilegal de arma de fogo e lesão corporal comissiva por omissão. Enquadrou também a mãe da criança por lesão corporal culposa, por descumprir um dever de cuidado. Com o aprofundamento das investigações, as penalidades podem ser alteradas.  

Nenhuma postagem para exibir