Corpo de transexual desaparecida em Ribeirão é encontrado no rio Piracicaba

Travesti estava desaparecida desde 3 de agosto; parceiro de Florianópolis é o principal suspeito

Alice Garrefa, transexual encontrada morta em Americana - Foto: Redes Sociais

A Polícia Civil de Americana localizou o corpo da transexual Alice Garrefa, moradora em Sertãozinho, no rio Piracicaba, na manhã deste domingo. Ela foi localizada nas imediações da cidade de Americana e tinha sido vista pela última vez em 3 de agosto, em Ribeirão Preto.

Na ocasião, ela esteve em um motel na avenida Barão do Bananal na companhia de um homem. O casal permaneceu no local por cerca de dez minutos e, depois, ela não foi mais vista. A família e amigos chegaram a fazer uma campanha nas redes sociais pedindo informações para localizar a travesti, mas sem sucesso.

A Polícia Civil chegou até o corpo depois de ser alertada por populares. O Instituto Médico Legal (IML) de Americana fez a identificação do corpo, que foi identificado com as mãos para trás. Não foram divulgados mais detalhes sobre a causa da morte.

Um boletim de ocorrência foi registrado pela família da transsexual em Sertãozinho e a Polícia Civil investiga o caso.

Depoimento

À Polícia Civil, a mãe da transexual informou que Alice tinha um relacionamento com um homem de Florianópolis (SC) e que chegou a ser ameaçada de morte por ele. O parceiro teria ciúmes de Alice e não aceitaria que ela saísse com outros homens. Ela chegou a anunciar que fazia programas sexuais pelas redes sociais.

De acordo com o boletim de ocorrência, Alice passava alguns dias na casa de um amigo, em Ribeirão, e fazia programas na cidade. O suposto companheiro teria ligado para a maquiadora na noite de 3 de agosto e se passando por outra pessoa, com um número de telefone diferente. O pretexto era marcar um programa.

Alice aceitou e, segundo a Polícia Civil, desapareceu depois do encontro. O homem já foi identificado e está sendo investigado pelas autoridades como suspeito do homicídio.

Nenhuma postagem para exibir