Câmera registra briga familiar que terminou com uma morte em Franca

Vídeo foi divulgado nesta segunda-feira (20), caso ocorreu no dia 11, quando uma mulher esfaqueou e matou o próprio primo

Além da vítima, outras duas pessoas ficaram feridas Foto: Reprodução

Uma câmera de segurança de uma residência registrou a briga familiar que terminou com a morte de um homem e dois feridos em Franca, no último dia 11 de setembro. No vídeo, divulgado nesta segunda (20), é possível ver o momento em que Sara Santos Oliveira, 24, esfaqueia o próprio primo. Mulher responde por homicídio e tentativa de homicídio. 

A confusão ocorreu na rua Maria Garcia Molina, no bairro Recanto Elimar, durante uma discussão entre Sara e seu companheiro Ruy Rocha Batista, 28.  Embriagado, no auge da briga, o homem pegou a mulher pelo pescoço e o irmão dela, Tiago de Oliveira, se envolveu para a defender, mas acabou agredido com socos. 

Depois da briga, Batista vai embora do local, porém, Oliveira pega um carro e busca outras duas pessoas para ajudarem a agredir o cunhado. Entre elas, o homem que depois acabou morto. Confira:

Os homens retornam para o local da confusão e acabam partindo para cima do pai de Sara,  Genivaldo Santos de Oliveira, pensando que ele era o seu companheiro. No meio da confusão o homem é jogado no chão e o irmão de Batista – que havia ficado no local – tenta defender o mais velho. 

Desesperada, Sara corre para dentro da casa, pega uma faca e parte para cima do próprio primo ao retornar para o local. O homem, identificado como Diego, foi atingido diversas vezes e caiu no chão. A mulher ainda chegou a golpear outras duas pessoas pelas costas. 

A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) pelo irmão da autora, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Seu corpo foi sepultado no domingo (12). Os outros dois homens que foram esfaqueados foram socorridos, chegaram a ficar internados, mas já receberam alta.

Após as agressões, Sara permanece no local e depois foge. Cinco dias depois, a mulher se apresentou na Delegacia de Investigações Gerais (DIG), acompanhada do advogado, onde foi ouvida e liberada. Ela foi indiciada por homicídio e tentativa de homicídio e pode pegar mais de 15 anos de prisão.

Nenhuma postagem para exibir