Ato heroico | Vídeo mostra momento do salvamento de idosa na beira do Rio Pardo

Tenente Natália, da Polícia Militar de Sertãozinho (SP), esperou um momento de distração e salvou a vida da cortadora de cana, moradora de Sertãozinho, que ameaçava pular

Continua depois da publicidade

Na manhã desta quinta-feira (7), na Rodovia Alcídio Balbo Alcídio Balbo, próximo à Jardinópolis (SP), a tenente Natália, da Polícia Militar de Sertãozinho, foi convocada para atuar em uma das ocorrências que mais exigem habilidade de um policial. Era um momento de tensão, mas o resultado da operação –filmado pelo Grupo Thathi– foi o salvamento de uma idosa, de 63 anos, com um golpe preciso da policial militar.

A pessoa que ameaçava se matar não teve o nome revelado, mas é uma cortadora de cana, moradora de Sertãozinho, que estaria sofrendo de depressão. Ela estava sobre a ponte do Rio Pardo ameaçando se jogar. O relato de testemunhas para a Central de Operações da Polícia apontava que a mulher estava se aproximando, cada vez mais, da beira do rio.

Cerca de quatro viaturas da PM e duas do Corpo de Bombeiros se deslocaram rapidamente para o local. Por quase 40 minutos, a equipe comandada pela tenente tentou conversar com a idosa. “Ela não queria conversa, estava muito nervosa. Nesse tipo de ocorrência, sempre tentamos perguntar o nome da pessoa para criar um laço. Hoje nós tentamos ganhar pelo cansaço, pelo tempo, tentando fazer com que ela desistisse do ato”, relatou.

Após perceber que a negociação não iria evoluir, a policial aproveitou um momento de distração da cortadora de cana e se aproximou lentamente. Em momento oportuno, agarrou a mulher por trás e se lançou ao solo com ela nos braços. (Veja vídeo abaixo) “Notei que ela não prestava atenção em mim, foi tudo muito rápido.” 

Para um integrante da equipe, o ato da tenente foi de bravura e muita técnica. “Foi um ato heroico salvar um terceiro, e é isso o que fazemos: salvamos vidas muitas vezes arriscando a nós mesmos.”

“É gratificante. Profissionalmente e pessoalmente, sem dúvidas. A gente treina para isso trabalha, para isso. É a nossa missão: a preservação da vida”, finalizou a policial.

Prevenção

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em todo o mundo, uma pessoa tira a própria vida a cada 40 segundos. São cerca de 800 mil mortes por suicídio todos os anos, número que supera o de mortes por malári ou câncer de mama, por exemplo. 

Para a psicóloga Fabíola Martin, a prevenção a um comportamento suicida não é uma tarefa fácil. Como um problema de saúde pública, a intervenção interdisciplinar é de suma importância, a fim de que se crie uma rede de escuta e proteção à essa pessoa. “Mostrar sua preocupação, cuidado e afeição, assim como focalizar nos sentimentos também é fundamental. É muito importante oferecer uma escuta cordial, numa tentativa sincera de entender os motivos da ideação suicida, bem como acolher o jovem neste momento em que o mesmo está em risco, por estar claramente confuso e fragilizado.”

A profissional ressalta ainda a importância de debater sobre o assunto, uma vez que o mesmo é muitas vezes tratado como tabu ou como distante da realidade, “A OMS estima que haverá 1,5 milhão de vidas perdidas por suicídio em 2020, representando 2,4% de todas as mortes. Dessa forma, quanto mais se discutir sobre o tema, maiores são as chances do preconceito sobre ele.”