Adolescente responsável por atirar bombinha que matou uma criança de 4 anos é detido

A prisão aconteceu nesta terça-feira (28) em Jaú (SP)

Aylla Manuella Ribeiro da Piedade de 4 anos - Foto: Arquivo pessoal

O Adolescente, de 14 anos, é suspeito de acertar a menina, Aylla Manuella Ribeiro da Piedade, de 4 anos, na nuca e no peito com os artefatos explosivos que mataram a garotinha. A tragédia aconteceu no último sábado (25).

Segundo a polícia de Barretos (SP), o jovem estava na casa de um familiar na cidade de Jaú, interior paulista, e decidiu se entregar depois de ser informado que havia um mandado de detenção contra ele. O menor se apresentou na Delegacia de Investigações Gerais da cidade.

A Tragédia

Aylla Manuella Ribeiro da Piedade, uma criança de apenas 4 anos, morreu na Santa Casa de Barretos, na madrugada de domingo (26), por volta das 2h55, após ter sido atingida no rosto por uma bomba na tarde deste sábado (25).

A mãe da vítima contou que adolescentes estavam ao decorrer do dia todo, jogando bombinhas na rua. Uma das bombas teria caído em um terreno vizinho, fazendo com que a vegetação pegasse fogo.

Foi então que o pai da garota, após apagar o princípio de incêndio, pediu para que os jovens parassem de jogar os explosivos, uma vez que eles poderiam causar alguma tragédia.

Os garotos ignoraram o aviso, e continuaram a atirar as bombinhas na rua. Por volta das 18h, uma das bombinhas acabou passando pela janela do quarto de Manoela.

A mãe se deparou com sua filha completamente ensanguentada e até mesmo o colchão do carto em chamas, desesperada ela pediu para seu marido acionar o Samu, que o fez, mas acabou não esperando o resgate e então acabou colocando sua filha no carro do vizinho e a levou para o hospital.

Porém, por conta de seus ferimentos, perdeu muito sangue e acabou falecendo durante a madrugada.

O caso foi registrado como homicídio culposo pela Polícia Civil, o jovem responsável por atirar a bomba já foi identificado e deve responder por ato infracional.

A mãe do suspeito compareceu no plantão da polícia, onde afirmou que o jovem foi o responsável por adquirir os explosivos, ela também afirmou que o filho desapareceu depois do ocorrido e que ela não sabe onde encontrá-lo.

Nenhuma postagem para exibir