Segurança Pública em tempos de pandemia: recorde na apreensão de drogas

Esse período atípico que atravessamos tem nos apresentado uma série de circunstâncias novas, que certamente servem de estudos das mais diversas áreas do conhecimento. E nesse sentido, a medicina e a economia buscam equilibrar as medidas sanitárias para que a retomada econômica preserve vidas.

E assim, os estudos sobre comportamento humano e social estão a cargo da antropologia, da sociologia e da psicologia; aos educadores têm-se as nuances da educação à distância, aos administradores as questões inovadoras para manter as empresas atuantes, aos advogados a pacificação dos conflitos, além de outros exemplos.

Na área de Segurança Pública não é diferente, e um indicador que merece atenção pelo volume retirado das ruas foi o de “apreensão de drogas”. Neste primeiro semestre de 2020, conforme divulgação realizada pela Polícia Militar, mais de 140 toneladas de drogas foram apreendidas, ou seja, aproximadamente 24 toneladas ao mês, o que implica dizer que em média tivemos quase uma tonelada de droga apreendida por dia. Recorde histórico, com a seguinte ressalva: números relativos às apreensões realizadas pela Polícia Militar, não contemplando as demais Forças (a Polícia Rodoviária Federal também prevê recorde).

Ainda é prematuro indicar as causas desse significativo aumento na apreensão de drogas no Estado de São Paulo. Pode estar relacionado com o acréscimo de drogas em circulação, devido ao fato de que as restrições de mobilidade e os problemas com desemprego e retração econômica possam ter acentuado a ansiedade e a depressão nas pessoas, e por conseqüência o aumento no consumo de drogas.

Mas somado a isso, temos que considerar que o emprego territorial e estratégico da Força Policial foi potencializado, nesse período, ao policiamento preventivo, pois que ausentes escoltas de presos e eventos (shows, futebol, feiras, dentre outros), houve distribuição do efetivo disponível nas ruas, direcionando-o às ações de prevenção e de repressão imediata, nos locais e horários indicados pelo setor de inteligência e pelos relatórios de análises criminais.

Esse contexto reflete o recorde obtido pela Polícia Militar, o substancial prejuízo financeiro levado a efeito contra as organizações criminosas e seus reflexos nos índices criminais, pois que o tráfico de drogas é responsável pela maioria dos crimes. E ainda mais importante, indica também o especial trabalho em preservar as vidas que diariamente o tráfico de drogas retira do seio familiar.