O vereador da (in)transparência

O pior vício da política é a demagogia.

Aí de vez em quando você recebe uma mensagem patrocinada de vereadores que dizem ser recordistas de economia no gabinete. Só que, muitas vezes essa economia de gabinete premia a inércia, pois, o vereador que trabalha gera requerimento, faz ligações, cobra o Executivo, faz leis… tem custos com carro, telefone, luz, papel e etc.

O que adianta abrir mão do carro e não dos assessores, do custeio total do gabinete? Veja bem, eu acho que o parlamentar tem que ter todo o suporte necessário para exercer seu mandato na plenitude, só que é importante expor aqueles que demagogicamente diz abrir mão de algo e não do todo.

A gente tem que cobrar é trabalho!

Todavia, piora, (e)leitor. O que adianta o vereador arrotar demagogicamente que não usou o carro oficial para atender a população, veja bem, atender a população e não si, mas aí na convocação de um secretário da Saúde para dar explicações sobre uma licitação milionária para “adequar” uma Upa que estava pronta há três anos… o sujeito vota contra convocação, contra a transparência, contra a população.

Explico, Ribeirão perde algumas centenas de milhares de reais por mês e de milhões por ano por não abrir as duas UPAs paradas (Norte e Oeste), pois, abertas elas recebem verba de custeio do governo federal. E a gente debatendo se o parlamentar economizou um litro de gasolina! É a inversão do debate.

Não fosse somente o prejuízo financeiro, pior é prejuízo de atender à população. Hoje 40% do atendimento da UBDS Central é oriundo da população da zona Oeste que deveria usar a UPA Cuiabá, que estava pronta segundo o governo mas que deve receber uma outra reforma. E a população sem o aparelho de urgência e emergência na sua área, sofre, leia, mães com filhos febris, com catarro no nariz, alguém com algum osso quebrado, ou que sofreu um acidente, alguém que corre risco de morte…

O secretário da Saúde tem muito a explicar. Que possamos ter essas explicações, e, sobretudo, que possamos desmascarar a demagogia vigente em Ribeirão.