O Paradoxo Brasileiro

                                                         

Os dicionários nos informam. Paradoxo “é uma afirmação contraditória que desafia a lógica e o senso comum”. Ou então, “figura de retórica que consiste em associar afirmações aparentemente contraditórias”. É aqui que entra o Brasil.

Dentre todos os países do mundo é o que reúne as melhores condições de criar uma economia verde, plenamente sustentável. Possui a maior quantidade de água potável. A maior reserva biológica, além da Amazônia outros biomas são de extrema variedade, além de um litoral marítimo de mais de 6.000 kms. em linha reta. No entanto, apesar da imensa riqueza natural, podemos constatar as marcas da destruição em todos os lugares. A Mata Atlântica já está completamente devastada. O Pantanal cremado de maneira constante e irresponsável. A Amazônia assiste a um brutal e criminoso desmatamento, além de as águas de seus rios estarem a ser envenenadas. Crateras imensas se abrem para a extração de milhões de toneladas de minérios. Os mananciais para o abastecimento de água estão, na maior parte, contaminados. A agropecuária predatória avança sobre as florestas e as de cobertura de cerrado. O país que deveria liderar a reviravolta ambiental no planeta é um dos que mais aceleram a sua destruição…

Os sinais são assustadores. Geleiras gigantescas se liquefazem. Ondas de calor atingem regiões de climas temperados e tornam as que já eramquentes em fornos ardentes que dizimam as coberturas vegetais que porventura ainda existiam. Inundações catastróficas se sucedem. A poluição dos mares ameaça as suas formas de vida como em nenhuma outra época aconteceu. E os governantes cruzam os braços. Deixam para os seus sucessores tomarem as devidas e necessárias atitudes, incapazes ou impedidos de iniciar as medidas que podem evitar ou adiar o Apocalipse. Alguns prestigiam e favorecem a chegada do Caos.

 De uns tempos para cá, os governantes brasileiros desprestigiaram a inovação industrial. Privilegiaram setores arcaicos travestidos de empreendedores da mineração e da agropecuária predatória, num imediatismo furioso de obtenção de divisas fartas que favorecem as elites possuidoras.

Aos que se jactam de possuirmos a condição de “celeiro do mundo” cabe lembrá-los que metade dos brasileiros sobrevive em insegurança alimentar, sendo que 33 milhões passam fome, literalmente. Cabe perguntar: é um paradoxo ou é um projeto…