O papel de um belo sorriso na construção da marca pessoal

Muito mais do que um “cartão de visita” pessoal, o sorriso tem o poder de tornar o ambiente de trabalho mais agradável e até mais produtivo, tanto entre equipes quanto no relacionamento com clientes. Ainda mais se levarmos em consideração a percepção estética do brasileiro, cujo mercado bilionário coloca-se entre os maiores do mundo.

Traduzindo em números o nível dessa nossa percepção estética aguçada, uma pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro avaliou o impacto dos subcomponentes da face em relação à beleza. Pasmem (ou não!): o sorriso correspondeu a 40% desse total. Esse é o nível estético que nós – brasileiros – consciente e inconscientemente percebemos o sorriso, no espelho, no dia a dia, nas relações de trabalho, nos padrões de beleza que nos inspiramos.

Segundo a pesquisa, um sorriso bonito influi não só na percepção de beleza, mas transmite uma imagem de que a pessoa tem bons hábitos de higiene pessoal, é cuidadosa e responsável. Isso tudo, claro, se considerarmos a construção de uma marca pessoal e de impacto profissional, possivelmente represente um percentual ainda mais relevante.

É importante destacar que uma boa apresentação pessoal e profissional não está ligada necessariamente à beleza física, mas sim ao cuidado de apresentação: vestuário apropriado à ocasião, cabelos limpos e arrumados, unhas bem cuidadas, barba aparada… e claro, a preocupação com a saúde bucal. Um profissional com boa apresentação é percebido com características e qualidades valorizadas pelos recrutadores em entrevistas de emprego e, consequentemente, no ambiente corporativo. Não por acaso, a busca pelo sorriso perfeito está sempre entre os maiores esforços, entre homens e mulheres, para a criação e manutenção de relações pessoais e profissionais. Basta repararmos no valor que os sorrisos possuem em propagandas.

Do lado dos profissionais, o “fazer sorrir” com convicção e segurança é parte da nossa busca. Nosso objetivo maior. O compromisso que assumimos desde a graduação, não apenas em aplacar a dor física, mas em sanar também a “dor psicológica” que um sorriso imperfeito traz a cada um de nós, sobretudo em uma cultura que tanto valoriza a beleza. E quando saúde e beleza andam juntas, certamente não faltam motivos para sorrir.

*Artigo de Rafaelle Kniess, orrtodontista e ortopedista facial, é consultora técnica da clínica Oral Unic Align