Neutro, mode off

Agosto veio e já passou voando, isso porque é considerado o mês mais longo do ano. É, agosto, não foi fácil mesmo não, mas trouxe uma lição, uma urgência: Precisamos tomar partido. Não dá mais pra neutralizar, pra fingir que tá tudo bem porque não tá.

De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgados no dia 09 desse mês, o Brasil registrou 606 casos de violência doméstica e uma média de 164 estupros por dia no ano passado. E estima-se que apenas 10% dos casos sejam comunicados á policia. “Feminicídio cresce 16% nos cinco primeiros meses de 2019 no Distrito Federal”, “Dados de violência contra a mulher são a evidência da desigualdade de gênero no Brasil”, “Violência contra mulher: novos dados mostram que não há lugar seguro no Brasil” são chamadas de notícias nos primeiros dias de agosto que escancara a certeza de que em briga de marido e mulher mete a colher sim, denuncia, porque o machismo mata e não nos calarão, não nos silenciarão.

Agosto trouxe o debate de que ofensa é ofensa sim, não dá mais pra botar panos quentes e dizer que foi só uma brincadeira pra tentar justificar um comentário machista de um Presidente da República em relação a uma mulher.  Aliás, tiro que saiu pela culatra, pois tal declaração fez subir em poucas horas a hahstag  #pardonbrigitte em apoio a Brigitte Macron e críticas a Bolsonaro. Brincadeira nunca será brincadeira se afeta ou ofende o outro. Então, #pardonbrigitte e #elenão me representa.

Agosto mais do que nunca colocou o meio ambiente em pauta, em socorro, em alerta, e em questão nosso futuro e sobrevivência. A situação de catástrofe ambiental na região amazônica se tornou assunto e preocupação mundial. Os efeitos dessas queimadas serão sentidos ao longo dos anos e não temos mais tempo pra brincar com os danos causados á natureza. Não temos mais tempo e o que nos resta é cuidarmos muito bem do que resta. Então, vamos sim, indagar políticas e regras ambientais, vamos sim incentivar nossas crianças a plantar árvores, a não jogar lixo na rua (é o mínimo da educação), vamos sim falar sobre desperdício de água…

Caros leitores, por favor, concordem, discordem, falem, deem voz, ouçam, argumentem, debatam.  O bom debate é fundamental porque temos as chances de defender uma opinião e também de mudar de opinião. Só não podemos mais tornar tudo como natural, e optar por ficar em cima do muro porque uma hora a gente cai.

Por último, 2 coisas:

1ª Foi confirmada a primeira morte por Sarampo no Estado de São Paulo em 22 anos. Vacinem-se. Contra Sarampo e contra todas as outras doenças que possuem vacinas.

2ª No último domingo de agosto faleceu Fernanda Young de uma crise de asma seguida de parada cardíaca. Fernanda, esse texto é pra você, que sempre foi uma inspiração, em vários aspectos, sobretudo, sua coragem e ousadia em manifestar opiniões, defender o que acredita e dar voz à sua voz.