Natal entre irmãos: uma nova sociedade

Neste ano o Natal tem um sabor de Fratelli Tutti, “Todos Irmãos”, sobre a fraternidade e a amizade social que nos leva a repensar a Sociedade que somos, a Sociedade que sonhamos e nossa fidelidade, como Sociedade junto à Comunidade Cristã.  Nossa participação no misterioso gesto de Deus que se faz gente, como nós em tudo, menos no pecado, a fim de podermos apalpá-lo, vê-lo, senti-lo amorosamente entre nós, é o esforço por identificar Seu rosto misericordioso na meiguice do Menino envolvo em faixas, ladeado além de Maria e José, de animais, reclinado sobre palhas, balbuciando na manjedoura de Belém.  E a partir deste elegante mistério, realizar o que o próprio Menino Deus nos propõe: O Natal entre Irmãos: Uma nova Sociedade!

O Natal entre Irmãos: Uma nova Sociedade é celebrar a vida em sua totalidade, onde todos possam sentir-se pessoas dignas e realizadas. Onde pessoas não tenham medo umas das outras. Onde não haja mentira, nem fingimento. Onde não haja inveja, nem arrogância ou prepotência. Onde mães não joguem seus filhinhos recém-nascidos no lixo. Onde pais sem perspectivas de futuro não se afoguem no alcoolismo. Onde filhos não sejam engolidos e exterminados pelas drogas. Onde as pessoas não disputem desrespeitosa e violentamente espaço no trânsito. Onde seja possível andar sem medo de ser assaltado ou atingido por balas perdidas. Onde seja possível confiar naqueles que nos governam, que prometem o que não cumprirão, subestimando e roubando seus eleitores institucionalmente.

O Natal entre Irmãos: Uma nova Sociedade só será realidade, na medida em que todos renovarmos nosso compromisso de promover o Amor na Família e entre Irmãos, do modo como Deus nos quis e pensou, celebrando plenamente a Vida! Deus não impõe Seu amor a ninguém. Prefere que sintamos, que cheiremos, que experimentemos seu amor com sabor divino, na relação humano-divina, sendo uns para os outros verdadeiros Anjos, que possam cantar com a corte celestial: “Glória a Deus nos altos céus e na terra paz aos homens!” (Lc 2,14). Possamos todos renovar nossa fidelidade da fraternidade e amizade social, celebrando um Natal entre Irmãos: Uma nova Sociedade que não acabe até o dia em que nosso nome ecoar na manjedoura celestial!

Seja o nosso Natal configurado com a ternura e docilidade da meiguice do Menino Jesus! Saibamos encontrar Jesus estampado no rosto de cada um e de todos os irmãos que o Senhor da Vida nos permite em nosso tempo finito!