Enxaqueca e a toxina botulínica

Atualmente no País, cerca de 15% da população, principalmente mulheres, sofrem com quadros constantes de enxaqueca. É uma doença neurovascular conhecida por resultar fortes dores de cabeça, náuseas, tontura e hipersensibilidade a luz e aos sons. Em caso de dores constantes, a enxaqueca é classificada como crônica, e é aí que entra o tratamento com toxina botulínica, ajudando no combate a dor e na qualidade de vida.

 

Segundo uma pesquisa realizada pela American Headache Society, a aplicação da toxina botulínica para o tratamento de enxaqueca crônica, possibilita uma melhor qualidade de vida aos pacientes. O efeito da aplicação pode durar até seis meses, amenizando a intensidade da enxaqueca, reduzindo as crises e os impactos da mesma na vida dos pacientes em várias esferas.

 

A toxina botulínica é aplicada em pontos que seguem um protocolo internacional recomendado pelas principais instituições de neurologia e cefaleia (Protocolo PREEMPT). Os pacientes que utilizam a aplicação da toxina apresentaram melhora significativa na qualidade de vida.

 

É necessário o uso de terapias adjuvantes ao tratamento com a toxina botulínica na enxaqueca, tais como, dieta adequada, prática de atividade física regular, acupuntura e medicações.