Cinema: Os seus problemas, você deve esquecer, isso é viver, é aprender… Hakuna Matata!

Chegou a hora de tirar o lerigou da cabeça das crianças!

25 Anos!!! Esse foi o tempo que demorou para que algum maluco resolvesse mexer em uma das maiores obras infantis da história do cinema. E nessa próxima quinta-feira (18/07) a expectativa máxima de saber o que fizeram com nossos queridos leõezinhos acaba, pois confesso que esse que vos digita aqui está num nível de ansiedade imenso por dois motivos principais: ver como ficou o realismo criativo (que muitos críticos estrangeiros tanto elogiaram e também reclamaram), e por incrível que pareça ver o longa que foi meu primeiro filme dentro de uma sala de cinema refeito, com algumas mudanças que irão verter toda a nostalgia de algo que pode sim vir a mudar as ideias completas que temos na mente. Ou seja, essa semana de poucas estreias será daquelas que tudo pode acontecer, pois um filme muito esperado pode se tornar uma bomba ou uma emoção imensa, e como costumo dizer quanto maior a expectativa, maior a chance de decepção, e esse é o maior medo que tenho nessa semana.

Continua depois da publicidade

Claro que se você ainda não pegou pelo título musical, primeiramente você deve ter menos de 25 anos, então eis que vos falo o nome de uma das maiores promessas da Disney de anos, o live-action de “O Rei Leão”, que chega imponente por ter as vozes grandiosas de incríveis atores atuais tanto na versão original, quanto na dublagem nacional, mas mais do que isso, chega imponente por mexer nas memórias da maioria do público que tem entre 30 e 40 anos, por todos verem a famosa fita VHS verde até ficar gasta de tantas repetições na canção “Hakuna Matata”, pois naquela época não tínhamos o Youtube para nossas mães colocar em looping eterno num celular como hoje fazem com “Galinha Pintadinha”, “Peepa Pig” e tantos outros musicais para envolver as crianças, mas sim víamos o longa inteiro, dançávamos as músicas, chorávamos um monte com a morte, ficávamos com medo do Scar e suas hienas, mas mal começava a subir as letrinhas, lá estávamos nós mesmos rebobinando a fita (que aprendíamos de tanto ver alguém fazer), ou estávamos gritando para alguém fazer isso para nós.

Ou seja, o Coelho nostálgico bateu forte aqui com tantas memórias, e sinceramente não sei se estou preparado para o que será mostrado na telona, pois a crítica internacional está realmente dividida pelo motivo principal de terem sumido com a fantasia do original, afinal trabalharam aqui bem mais o realismo animal dos personagens, não tendo tantas sutilezas imaginativas, e dessa forma pode ser que cortem o barato de muitos. Outro grandioso problema, que tem acontecido principalmente com os críticos nacionais, é que praticamente todos só viram o longa dublado com vozes marcantes de grandes nomes da dublagem de antigamente, e aqui veremos no original com grandes vozes conhecidas (como Beyoncé, Donald Glover, Seth Rogen, Chiwetel Ejiofor, entre outros) ou com as vozes nacionais de atores e cantores da atualidade (Iza e Ícaro Silva, entre os principais), e isso pode ser que decepcione um pouco. Enfim, o jeito é se preparar para se emocionar com certeza, e ter esperança, pois mesmo que tenha muitos problemas, ainda continuaremos apaixonados pela história, disso eu tenho certeza, então se você não viu o original de 1994 (o que acho bem difícil!) veja, mas não fique sem conferir essa nova versão, pois as imagens estão espetaculares pelo trailer, e o resultado visual certamente estará incrível.

“O Rei Leão”

Praticamente todas as salas dos cinemas da cidade estarão passando o longa dos leões, mas teremos no projeto Cinema de Arte uma alternativa para quem quiser fugir do imenso blockbuster, e é o drama nacional “Divino Amor” que já rodou o mundo em diversos festivais, que mostra uma escrivã extremamente religiosa que tenta fazer com que casais não se separem ao tentar entrar com pedido de divórcio, e que tem uma grandiosa virada quando ocorre uma crise em seu casamento, ou seja, um filme que promete muito envolvimento, principalmente por contar com dois grandiosos nomes do cinema/TV nacional, que é Dira Paes e Julio Machado. Sendo também uma boa dica para conferirmos no cinema.

“Divino Amor”

E somente teremos isso pessoal, além de que quem viu os filmes das semanas anteriores viu, quem não viu sobrou bem poucas opções, pois o leão rugiu alto e pediu licença para praticamente 70% das salas, então Julho que já costuma ter poucas estreias, com um blockbuster imenso era meio difícil esperar por muitas novidades, de modo que é o que teremos para ver nos cinemas ribeirão-pretanos. Fico por aqui hoje, deixando sempre meu site (www.coelhonocinema.com.br) aberto para quem quiser saber os horários de todas as salas de Ribeirão Preto e também saber minha opinião completa de cada um dos filmes, e venham também discutir por lá o que acharam dos filmes, então abraços e até semana que vem.