A história do Cristo Redentor do Jardim das Oliveiras

O tempo passa e a história fica registrada, mas algumas ficam esquecidas, razão da importância de resgatar a parte da história que ficou esquecida, contarei esta que está esquecida há de 40 anos. A simplicidade de um grande ato precisa ser resgatado para que todos saibam.

No final da década de 1970, o Comendador Alexandre Balbo (1914-1982), filho de Atílio Balbo e Crescência Carolo Balbo, Comendador é condecoração que recebeu em 1974, reconhecimento de seus trabalhos e realizou seu grande desejo de colocar uma estátua do Cristo Redentor na fazenda que fazia parte da antiga Galo Bravo, a Fazenda Anel Viário.

Com o crescimento e desenvolvimento da cidade, a fazenda, ou parte dela, foi loteada e uma construtora realizou a infraestrutura e construção de casas surgindo um grande bairro de Ribeirão Preto.

Embora o comendador Alexandre Balbo seja natural de Sertãozinho, ele teve muito a ver com Ribeirão e deixou este monumento que hoje passou a ser admirado pelos moradores do bairros próximos.

Eu conheço essa história desde que ele teve a ideia e a realização do seu desejo, não encontrei nada que pudesse ter mais detalhes, apenas o que conheço como testemunha do fato, se alguém souber, ou lembrar mais detalhes entre em contato.

O Monumento Cristo Redentor ganhou pintura nova, iluminação, paisagismo, bancos, além de um mirante, tem 23 metros do chão, sendo 13 metros de base e mais 10 metros somente a estátua.