Paulo Caldo | Antenado, morre o decano do Direito que formou promotores, advogados e juízes em Ribeirão

Professor universitário e decano do direito penal, advogado morreu aos 73 anos por conta de um ataque cardíaco

Paulo Caldo, decano da advocacia e professor universitário - Foto: Sindicato dos Servidores

Morreu na noite desta quarta-feira (12), em Ribeirão Preto, o advogado Paulo Roberto Caldo, 73. Segundo a informação de familiares, ele sofreu um infarto fulminante no início da noite e morreu na hora.

Professor Caldo, como era chamado por milhares de alunos que aprenderam com ele em quase três décadas de dedicação ao ensino do direito em universidades de Ribeirão – Unaerp e Moura Lacerta. Deixa três filhos e cinco netos.

Decano da advocacia criminal, ele tinha 45 anos de atuação no mercado. Atuou como procurador de Ribeirão, cargo em que se aposentou, sendo também superintendente do Sassom.

Para Daniel Rondi, advogado criminalista, Caldo podia ser definido por uma característica: antenado. “Ele sempre acompanhava as notícias, estava sempre atuando em defesa da advocacia e da Justiça”, conta. “Ele, ainda doente fazia ecoar sua indignação.  Paulo era um destes pouco que são pra sempre. Nos seus 73 anos de idade, ainda recebia quase que diariamente suas manifestações, seu inconformismo com o injusto”, afirmou Rondi.

Para o criminalista, Caldo é do “time dos notáveis” da cidade, junto a nomes como “Rubens Cione, Romero Barbosa, Orlando Jurca, Said Halak, Pedro Augusto de Azevedo Marques, Antônio Reis Villalobos, Orestes Lopes de Camargo, Wagner Calil, Sebastião Fernandes Palma, Antônio Calixto e Orestes Lopes de Camargo”. “Tive a honra de homenageá-lo em vida e gozar de sua amizade. Paulo era um exemplo que merece ser copiado nos dias de hoje”, disse.

Antenado

Ligado à política – chegou a ser presidente do PSD em Ribeirão Preto, no ano de 2017, a pedido do amigo Gilberto Kassab, era a arte ensinar que se realizava.

“Orgulhava-se de ter entre vários de seus ex-alunos advogados renomados, delegados de polícia, promotores de justiça e juízes de direito (muitos deles da velha guarda)”, conta Glauco Mateus, um dos três filhos de Paulo Caldo e que, como o pai, se dedica ao Direito.

Em nota, a morte foi lamentada pela seccional de Ribeirão Preto da OAB e pelo Sindicato dos Servidores Municipais. “Infelizmente, perdemos um grande advogado professor e amigo doutor Paulo Roberto caldo. Pessoa honrada, espelho para jovem advocacia e que sempre cumpriu o juramento de seu grau de formação profissional. Seu passamento é precoce e de todo lamentável”, disse Luiz Vicente, presidente da OAB.

O velório foi na manhã desta quinta-feira (13) e o sepultamento ocorreu no início da tarde no Cemitério da Saudade.

Nenhuma postagem para exibir