Morre Ênio, ex-goleiro do Botafogo na década de 50

Hélio Calura tinha 92 anos e a causa de sua morte não foi divulgada

Hélio Calura à direita Foto: arquivo

O ex-goleiro do Botofogo Hélio Calura morreu, nesta quinta-feira (8), em Ribeirão Preto. O sepultamento ocorreu às 15h30, no Memorial Campos Elíseos. Conhecido nos gramados como Ênio, ele tinha 92 anos e a causa da morte ainda não foi divulgada.

O apelido foi dado em razão de um erro de registro por parte de seu pai. Sua passagem pelo Pantera se deu na década de 50 e foi onde também se aposentou, em 1956, aos 27 anos.

Em entrevista ao Teceiro Tempo, ele afirmou que a época em que jogou, os salários eram baixos e nem sempre havia a oportunidade de jogar, aliado a isso, vinha a intensa vontade de pausar a carreira.

“Joguei em um tempo em que não havia substituições. Como éramos quatro goleiros, a chance de entrar em campo nem sempre aparecia. O treinador soltava a escalação antes da partida, e os que não eram relacionados para iniciá-la nem se davam ao trabalho de colocar o uniforme?.
Os baixos salários levaram o goleiro abandonar os gramados, pouco mais de dez anos depois de começar com a bola”, afirmou Hélio.

Ele havia sido contratado, para jogar no Botafogo, pelo presidente Costábile Romano, por se destacar nas partidas disputadas no futebol amador.

Nenhuma postagem para exibir