Morre, aos 93 anos, o físico Sérgio Mascarenhas em Ribeirão

Mascarenhas estava internado no Hospital São Paulo, desde a última sexta-feira (28), mas sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu

Foto: wikipedia.org

Morreu, aos 93 anos, o físico Sérgio Mascarenhas, nesta segunda-feira (31). Ele estava internado no Hospital São Paulo, em Ribeirão Preto, desde a última sexta-feira (28), mas sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. A informação foi confirmada pela neta dele, Sarah Mascarenhas. 

Mascarenhas ficou reconhecido internacionalmente e passou a ser considerado como um dos mestres dos cientistas, devido às suas contribuições para o cenário da pesquisa em São Carlos, onde fundou os Institutos de Física e Química da Universidade de São Paulo, a unidade da Embrapa Instrumentação e ainda participou da criação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

“O professor Sérgio deixa um enorme legado para o país e, especialmente, para São Carlos, cidade que adotou, criou raízes e que muito contribuiu para transformar em uma referência nacional em ciência e tecnologia”, disseram os diretores do IQSC, diretores Hamilton Varela e Emanuel Carrilho.

Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o físico nasceu e se criou no estado, mas mudou-se para São Carlos, onde fez carreira com pesquisas inovadoras em áreas que vão desde o agronegócio à medicina. 

Despedida 

Mascarenhas deixou um legado, não apenas para o cenário científico nacional, mas também por onde passou. Em nota, diretores dos Institutos Química disseram que o físico será sempre lembrado por seu empenho em motivar aqueles que cruzaram seu caminho. “São muitos os que tiveram o privilégio de cruzar o seu caminho e que foram influenciados pelos seus ensinamentos e visão de mundo”, afirmaram Varela e Carrilho.

Já o diretor Vanderlei Bagnato, do IFSC, relembrou o afinco com o qual Mascarenhas lutou para mudar o desenvolvimento nacional por meio do conhecimento científico. “Inconformado com a grande desigualdade social no Brasil, lutou sempre para que a ciência fosse o veículo da mudança deste quadro. Tristes, temos que continuar a caminhada traçada pelo Prof. Sergio Mascarenhas, esta é a forma de tornarmos imortais este grande cientista”, disse.

Em nota, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) também demonstrou seu pesar pela partida do físico. “Querido por todos, o Prof. Sérgio deixa um grande legado para a ciência brasileira, tendo mantido, sempre, um forte vínculo com o CNPq, como o apoio à criação e ao desenvolvimento do Centro de Memória da instituição.” 

Velório 

O velório de Mascarenhas está previsto para ocorrer das 13h30 às 15h30, desta terça-feira (1º), no Auditório Sérgio Mascarenhas. No local haverá controle de entrada para evitar aglomerações. Já o  enterro será às 16h, no Cemitério Nossa Senhora do Carmo em São Carlos (SP).

Nenhuma postagem para exibir