João Cunha | Morre, aos 81 anos, o homem que elegeu Tancredo Neves presidente

Deputado federal constituinte, advogado proferiu o voto decisivo para eleger Tancredo como primeiro presidente após o fim do governo militar

Foto: João Cunha, deputado constituinte - Foto: Rede social

Morreu, na manhã deste sábado (14), o ex-deputado constituinte João Cunha. Advogado e brilhante orador, ele tinha 81 anos estava internado no Hospital Unimed desde a tarde de quinta-feira (12), depois de ter sofrido um AVC em sua residência, em Ribeirão Preto. Ele deixa quatro filhos, de dois casamentos.

“O Hospital Unimed Ribeirão Preto comunica o falecimento do paciente João Orlando Duarte da Cunha, às 5h50 de hoje.​​ O paciente estava internado desde o dia 12 de novembro, sob os cuidados de equipe médica especializada. A família o acompanhou e recebeu todas as informações sobre o seu quadro de saúde”, disse o hospital.

Cunha teve morte cerebral nesta sexta-feira (13), conforme divulgado com exclusividade pelo Grupo Thathi. Ele sofreu um Acidente Vascular Cerebral na quint-feira (12), depois de almoçar, e teve uma queda em decorrência do problema. Consciente, falou com familiares e acabou sendo levado para o hospital.

O deputado constituinte teve o diagnóstico de AVC confirmado mas, como tomava medicamentos anticoagulantes, os médicos não puderam fazer nenhuma intervenção cirúrgica, e o quadro de saúde dele se comprometeu. Após a confirmação da morte cerebral, os equipamentos foram desligados.

Homenagem

Pelas redes sociais, Cunha foi homenageado por cidadãos, políticos e personalidades. A contadora de histórias Gisele Batizoco, foi uma delas. “Nesse domingo, temos eleições. Que o exemplo dele sirva para que lembremos que esse ato democrático deve ser exercido com consciência”, disse ela, em um vídeo, disponibilizado no youtube, contando um pouco da história do político. Confira abaixo.

A Câmara de vereadores chegou a procurar os familiares para que o velório fosse realizado no local, mas, atendendo a um pedido de João Cunha, o velório será reservado a familiares e o corpo, cremado.

Decisivo

Deputado por quatro mandados consecutivos, João Orlando Duarte da Cunha era advogado formado em Direito pela Faculdade de Direito Laudo Ferreira Camargo, da Unaerp.

Grande orador e opositor ferrenho da ditadura militar, foi vereador em Ribeirão Preto de 1969 a 1975 e deputado federal de 1975 a 1991. Chegou a assumir, como suplente, o cargo de deputado estadual na década de 1970.

Foi quem proferiu o voto decisivo para sacramentar eleição de Tancredo Neves como o primeiro Presidente da República, após a redemocratização do Brasil, em 1985, no colégio eleitoral do Congresso Nacional.

Exerceu, ainda, o mandato de deputado federal constituinte em 1988, tendo participado ativamente dos debates que culminaram com a nova Carta Magna brasileira, considerada modelo em todo o mundo. Cunha chegou a ser cogitado para ocupar a vaga de candidato a vice-presidente nas eleições de 1989, na chapa encabeçada por Fernando Collor de Mello, que acabou eleito.

Quase vice

Chegou a disputar a prefeitura de Ribeirão Preto, em 1988, sendo derrotado por Welson Gasparini. Sua última eleição, para a qual disputou o cargo de deputado federal, sem sucesso, foi disputada em 2010

Pai de quatro filhos em dois diferentes casamentos, Cunha publicou, em 1977, a coletânea de discursos intitulada Resistência. Em 1991, o político deixou a Câmara ao término da legislatura, dedicando-se ao escritório de advocacia.

Nenhuma postagem para exibir