Bruno Covas | Prefeito de SP morre aos 41 anos, vítima de câncer

Tucano lutava contra a doença desde 2019; ele deixa o filho Tomás, de 15 anos

Foto: Divulgação

Morreu, na manhã deste domingo (16), o prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), aos 41 anos, vítima de câncer no sistema digestivo, com metástase nos ossos e no fígado. Ele deixa o filho Tomás, de 15 anos. A notícia foi confirmada em nota pela Prefeitura de São Paulo.

Na última sexta-feira (14), a equipe médica do Hospital Sírio-Libanês, onde o prefeito estava internado, emitiu um comunicado afirmando que o quadro de Covas era considerado irreversível. Desde então, o tucano permaneceu internado em um quarto, acompanhado por sua família e recebendo sedativos para que não sentisse desconforto. 

O prefeito estava internado no Hospital Sírio-Libanês desde o dia 2 de maio, quando o quadro de câncer metastático começou a piorar, após os médicos descobrirem um sangramento no local de seu tumor inicial. Neste mesmo dia, antes de ser intubado, ele encaminhou à Câmara Municipal um pedido de afastamento do cargo por um período de 30 dias, para dar prosseguimento ao seu tratamento contra o câncer. O cargo de prefeito passou então a ser assumido por seu vice, Ricardo Nunes.

Ele foi diagnosticado com um adenocarcinoma em outubro de 2019, um câncer na região da cárdia, entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos. Após o diagnóstico, Covas iniciou um tratamento de quatro meses de quimioterapia. 

Em fevereiro de 2021, o tucano passou por um novo tratamento quimioterápico após os médicos descobrirem um novo nódulo no fígado. Em meados de abril, exames de controle demonstraram novos pontos da doença no fígado e nos ossos. Com isso, os médicos decidiram dar continuidade ao tratamento com quimioterapia, além de imunoterapia. Esse tratamento teve que ser interrompido quando o sangramento na região do estômago foi descoberto.

Despedida 

Em nota, o governador João Dória agradeceu ao trabalho realizado por Covas e relembrou os anos em que atuaram juntos na prefeitura de São Paulo. “Tive o privilégio de acompanhá-lo desde o início da vida pública, ao lado do seu avô Mario Covas e a honra de tê-lo como vice, na Prefeitura de São Paulo. E a alegria de ver seus ideais e realizações aprovados nas eleições de 2020”. 

Dória afirmou ainda que São Paulo vai guardar na memória o carinho e a dedicação do prefeito, “Bruno Covas era sensível, sereno, correto, racional, pragmático e ponderado. Voz sensata, sorriso largo e bom coração. Era esperança. E a esperança não morre: ela segue, com fé, nas lições que ele nos ofereceu em sua vida”, disse o governador.

“A força de Bruno Covas vem do seu exemplo e do seu caráter. Foi leal à família, aos amigos, ao povo de São Paulo e aos filiados do seu partido, o PSDB. Sua garra nos inspira e seu trabalho nos motiva”, afirmou Dória, “você foi e continuará sendo para todos nós, um eterno exemplo”.

Veja abaixo a nota da equipe Prefeitura de São Paulo na íntegra:

“O Prefeito de São Paulo Bruno Covas faleceu hoje às 08:20 em decorrência de um câncer da transição esôfago gástrica, com metástase ao diagnóstico, e suas complicações após longo período de tratamento.

Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês desde o dia 2 de maio, sob os cuidados das equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, Dr. Artur Katz, Dr. Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, Prof. Dr. Raul Cutait e Prof. Dr. Roberto Kalil”.