Arquivos/Rede social

Durante 10 anos os funcionários do Cemitério da Saudade, em Taboão da Serra (SP), perceberam uma presença constante no local: um cachorro que decidiu permanecer lá depois que a tutora foi enterrada. Alegre, amável e fiel, ele recebeu o nome de Bob Coveiro, virou uma personalidade na cidade e animou pessoas em luto. Na segunda-feira (25/10), foi a vez de Bob ser velado e homenageado.

De acordo com a ONG Patre, que prestava cuidados a ele, o cachorro morreu após ser atropelado por um motociclista quando seguia um funcionário que ia para casa. O homem não prestou socorro e o animal não resistiu.

Em um gesto de gratidão pelos momentos de alegria, os funcionários do cemitério prepararam um velório. O corpo foi colocado em um caixão com flores e uma coroa de rosas escrita “saudade eterna”.  
Bob ficou conhecido na cidade e na internet após jornais locais noticiarem sua história. Foi um perfil no Facebook criado por voluntários da ONG Patre que auxiliou a “fama” do animalzinho. De acordo com a instituição, familiares da dona tentaram levar o cachorro para casa, mas ele não queria sair do local. Nos 10 anos que ficou no cemitério, Bob recebia cuidados de funcionários, clínicas veterinárias e da ONG.
O anúncio da morte de Bob, feito no perfil dedicado a ele, gerou, até o fechamento dessa matéria, 375 comentários e 174 compartilhamentos. Moradores da cidade, funcionários do cemitério e seguidores que se apegaram ao mascote lamentaram a partida dele.

“Meus sentimentos pra todos que cuidaram dele com amor”, disse um perfil. “Ai que triste, meu Deus, eu amava ele!”, disse outra moradora da cidade. “Meus sentimentos a toda equipe do cemitério que cuidava tão bem do nosso amado Bob Coveiro .Vai com Deus anjinho que São Francisco de Assis o receba no céu dos doguinhos”, disse outra.
Uma funcionária, Lobélia Bela, registrou o amor pelo cachorro. “Ah meu Deus. Que descanse em paz. Muito triste por sua partida decorrente de uma fatalidade. Porém agradeço por ter trabalhado lá e convivido com você, fofão”, disse.
Uma moradora da cidade resumiu a importância de Bob no cemitério. “MUITO triste! Bob era cheio de vida e dava vida e alegria a todos que o conheciam”, declarou. Outro torce para que ele reencontre a tutora, a quem foi tão fiel. “Fiquei triste com a notícia. Agora ele vai encontrar a sua querida dona. Descanse em paz Bob.Deixará saudades em todos nós“, disse outro.
Há também quem pede a punição do responsável pelo atropelamento. “Ah não acredito meu DEUS que tristeza um animal tão dócil tão querido inconformada lamentável que o culpado seja punido vou sentir saudades das suas publicações Bob eterno no meu coração”, pediu uma seguidora. O caso, de acordo com a ONG, está em investigação pela polícia da cidade.

Em rede social, Rayanee de Almeida, fez uma homenagem.

“É o fim de uma história linda de amor aqui na terra, Bob tinha uma dona que faleceu e desde desse dia, há quase 10 anos, ele nunca mais saiu de perto dela e passou a morar no Cemitério da Saudade.

Bob ganhou fãs, matérias em grandes meios de comunicação, mas mais que isso… Bob Coveiro ganhou o coração de todos que o conheceram, pessoas que estavam tristes ao enterrar seus entes queridos ensaiavam um sorriso quando o cachorrinho que era louco por bolinha tentava brincar.

Agora nós meros mortais não conseguiremos acompanhar a história lá no céu, o reencontro de Bob com sua tutora amada, mas aprendemos com ele que estender a mão (ou dar uma bolinha) ao próximo quando ele precisa é um ato de amor.

Queremos parabenizar a Funerária Campos que cuidou do corpinho com tanto carinho, agradecemos o vereador Anderson Nóbrega e o Secretário Dr. Eduardo Nóbrega por intermediarem o enterro no local que ele viveu, e ao prefeito Aprígio que autorizou essa despedida de amor.

Queremos agradecer a protetora Valéria Ribeiro que cuidava das redes e levou o Bob em nossa Cãominhada, e a Max Vet que sempre doou banho e atendimentos veterinários.

Obrigada pela lição Bob, vá em paz”.

Informações: EM