Lobo-guará é resgatado e acolhido no Bosque Fábio Barreto

Ele foi encontrado por um fazendeiro, no município de Altinópolis e estava debilitado

Bosque Fábio Barreto acolhe lobo-guará nesta sexta-feira (18)

O Bosque Zoológico Fábio Barreto acolheu na última quarta-feira( 6) um lobo-guará encontrado por um fazendeiro com a saúde debilitada no município de Altinópolis, após ficar com a pata dianteira presa em uma forquilha de árvore.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros de Ribeirão Preto, da Estação Lagoinha do 9° GB, fez a contenção e captura do animal, que estava bem debilitado devido ao tempo que ficou preso. Posteriormente, o animal foi encaminhado ao Bosque Zoo para atendimento pelo setor de medicina veterinária, por meio do programa Uma Nova Chance, para os procedimentos de reabilitação.

Segundo a equipe de medicina veterinária que atendeu o lobo-guará, ele estava bem apático e prostrado, demonstrando um comportamento incomum para a espécie, que sempre evita o contato com seres humanos. Acredita-se que ele tenha ficado preso por aproximadamente dois dias.

No exame clínico foram constatadas lesões por compressão de vasos, com necrose de pele e musculatura por isquemia (falta de oxigenação) nos tecidos das duas porções distais dos dois membros anteriores (mãos). Para o tratamento das lesões, o animal foi medicado com antibióticos, analgésicos, anti-inflamatórios, entre outros.

Também foi realizado tratamento de suporte à base de fluidoretapia intravenosa e suplementação vitamínica devido ao tempo que o animal permaneceu sem se alimentar, beber e, em particular, devido à exposição ao sol.

Programa Uma Nova Chance

O programa Uma Nova Chance consiste no resgate, reabilitação e reintrodução de animais silvestres de vida livre de Ribeirão Preto e região. O Bosque Zoológico Fábio Barreto recebe de munícipes, Corpo de Bombeiros, Polícia Ambiental, Ibama e Secretaria do Meio Ambiente animais silvestres vítimas de maus tratos, atropelamentos, queimadas, apreensões, entre outras causas.

Assim que os animais dão entrada no setor de Medicina Veterinária são prontamente atendidos e tratados, inclusive em sistema de plantão 24h, e em alguns casos passam por cirurgias. Após a melhora, os animais são reabilitados no próprio Zoo e se estiverem aptos a retornar à vida livre, são encaminhados à reintrodução com o apoio de parceiros.

Somente no ano de 2020 foram recebidos mais de 1.300 animais silvestres, e foram reintroduzidos em seu habitat aproximadamente 850 animais.

Gato-maracajá encontrado

O Bosque Zoo também recebeu na última quinta-feira, 17, um gato-maracajá resgatado pelo Corpo de Bombeiros na cidade de Cajuru. O felino, que é nativo das Américas do Sul e Central, foi encontrado dentro de um hospital da cidade vizinha a Ribeirão Preto.

O gato passou por exames e está bem, sem ferimentos. Segundo César Branco, médico veterinário do Bosque Fábio Barreto, “o gato-maracajá está ótimo, passou por exames e foi constatado que está bem para ser transferido. Com relação a sua destinação, optamos por enviar para a Associação Mata Ciliar, em Jundiaí, onde participará de um programa de reprodução para a conservação da espécie”, concluiu.

Em decorrência da pandemia do coronavírus, o Bosque está aberto para visitação em dias e horários reduzidos, ficando aberto ao público de quarta a sexta-feira, das 9h às 16h30, historicamente dias com menos movimento. O Zoo fica situado na rua Liberdade, no bairro Campos Elíseos.

Nenhuma postagem para exibir