Imagens fortes | Cinco anos depois, cachorro que teve a boca amordaçada com fita isolante consegue novo lar

Animal foi resgatado em 2015 e tem problemas de socialização; mulher viu cachorro em programa da Thathi

O cachorro Tony - Foto: Redes sociais

A história de Tony, um vira-lata que teve a boca amarrada com fita adesiva e quase morreu, está perto de um final feliz. Depois de aparecer em uma matéria do Grupo Thathi de Comunicação, o animal, que desenvolveu sérias fobias sociais e não tinha perspectivas de adoção, ganhou uma admiradora e vai, finalmente, mandar um novo lar.

Tony teve o focinho amarrado com fita isolante e teve que passar por uma série de procedimentos. O focinho chegou a ficar em carne viva. A vida dele foi salva, mas ele não conseguiu voltar a se socializar. Ele foi acolhido pela Focinhos SA, Organização Não Governamental (ONG) que cuida de animais abandonados.

Apesar do acolhimento, Andréa Bombonato, que responde pela ONG, afirma que Tony não estava disponível para a adoção. “Ele foi encontrado em 2015, após ser abandonado com uma fita isolante envolvendo o focinho e a boca, impossibilitando o animal de comer e se hidratar. Nós resolvemos o problema, mas ele não consegue se socializar”, conta.

A sorte de Tony mudou quando o Grupo Thathy fez uma matéria sobre a feira de adoção realizada pela instituição. Tony foi um dos cachorros filmados. Uma pessoa, que havia acompanhado a história original de Tony, se emocionou ao ver o animal e decidiu entrar em contato com a ONG para adotá-lo.

Tony com o focinho machucado, depois do resgate – Foto: Acervo Pessoal

“A gente nunca colocou ele para a adoção. É um animalzinho especial, que nunca seria adotado, tanto pela parte física quanto pela socialização, mas essa pessoa entrou em contato com a gente, disse que queria adotá-lo. Nós começamos a fazer o acolhimento, ela veio aqui todos os dias, para fazer a socialização, e ela deve levá-lo para casa nos próximos dias”, disse Andrea. “Nunca imaginamos que ele pudesse ser adotado, mas isso aconteceu”, conta.

Doação online

Andréa faz questão de ressaltar que quem quiser adotar um animalzinho pode aproveitar a feira de adoção pela interne. No momento atual de pandemia, não é possível realizar uma feira de adoção para os animais devido as leis de isolamento social e de reabertura do comércio, já que Ribeirão Preto faz parte do grupo vermelho do Plano São Paulo, limitando a abertura somente para o grupo de serviços essenciais.

Para resolver esse problema, a Focinhos SA optou pelo uso das redes sociais para a divulgação dos animais. “No instagram por exemplo, a pessoa interessada pesquisa por @focinhos_sa, escolhe um animal de maior interesse, e o mesmo será levado para a sua residência para um contato mais próximo com o animal para, assim, realizar a adoção”, conta.

O contato também pode ser feito através do Facebook, pesquisando por focinhos.sa.

Confira a matéria:

Nenhuma postagem para exibir