Zagueiro Didi e atacante Gustavo Schutz buscam espaço no elenco do Botafogo

Foto: Luís Augusto / Grupo Thathi

O Botafogo iniciou a semana apresentando dois atletas que chegaram para compor o elenco que está disputando a Série B do Campeonato Brasileiro. No final da manhã desta segunda-feira (13), o zagueiro Didi, 27, e o atacante Gustavo Schutz, 20, vestiram a camisa do clube e concederam suas primeiras entrevistas como novos atletas botafoguenses.

Didi se apresentou ao Tricolor procurando um verdadeiro recomeço. O defensor não atua desde 26 de fevereiro do ano passado e precisou se afastar dos gramados para ser submetido a uma cirurgia no joelho. Ele garante que a contusão já ficou no passado e está preparado para contribuir com o Pantera na Série B. “Estou vindo de uma lesão de ligamento cruzado, mas nesse momento já estou pronto e agora só depende mesmo da comissão técnica. Se depender de mim quero jogar o mais rápido possível. Sei que faz tempo que não atuo, mas no decorrer dos jogos e dos dias vou melhorando a parte física”, disse o zagueiro, que assinou contrato com o Botafogo até 30 de abril do ano que vem.

O último clube de Didi foi o Adanaspor, da Turquia, porém antes ele ficou dois anos sob o comando de Fernando Diniz no Osasco Audax. Ele também vestiu camisas de clubes como Guaratinguetá, São Bernardo, Penapolense, Palmeiras B, Paulista, entre outros.

A segunda novidade busca oportunidade para provar que deixou de ser uma promessa para se tornar uma realidade. Formado nas categorias do Fluminense-RJ, o atacante Gustavo Schutz promete entrar na briga pela titularidade no setor ofensivo.  “Gosto de jogar mais por dentro, mas se precisar também consigo fazer a função de ataque pelas laterais. Sou um jogador de muita força, boa finalização, velocidade e espero desempenhar tudo isso.”

Gustavo chegou ao Botafogo por empréstimo da Tombense-MG com contrato válido até 31 de dezembro. O atleta admite que apenas em passagem pelo STK Samorin, da Eslováquia, que conseguiu ter uma boa sequência de jogos para atuar até o momento e quer mudar essa história. “Tive uma sequência legal de jogos pelo sub-19 e no profissional na Eslováquia, em 2017, e quando retornei ao Fluminense-RJ já não tive uma sequência de jogos, preferi encerrar meu vínculo e me transferi para o Tombense-MG. Também não tive muitas oportunidades, joguei apenas um jogo este ano, mas espero aqui no Botafogo ter uma sequência de jogos”, reforçou.

“Apareceu a oportunidade de trazer o Didi e ele é um jogador que nos chamou a atenção pela qualidade técnica. Ele é um zagueiro que tem muita qualidade na saída de jogo e também fez treinamentos até como volante mostrando que tem versatilidade muito grande. O Gustavo nos foi oferecido, buscamos informações e analisamos material. Ele é um atleta jovem e foi uma oportunidade de contratação vinda por empréstimo com os direitos econômicos e federativos fixados”, revelou Léo Franco, diretor executivo de futebol do Botafogo.