“Nesse momento o Botafogo não tem treinador”, diz Festucci após saída de Cavalo

Em entrevista coletiva, o vice-presidente do Botafogo disse que ainda não sabe o que será do time na próxima sexta-feira contra o Bragantino

Oswaldo Festucci, vice-presidente do Botafogo, falou em coletiva após saída de Roberto Cavalo. Foto: Reprodução/Agência Botafogo

Nesta terça-feira (6), o Botafogo anunciou que o Roberto Cavalo não era mais técnico do time. Após a notícia, o vice-presidente do Pantera Oswaldo Festucci falou em coletiva o que levou o desligamento do treinador e quais são os planos da diretoria para o futuro tricolor. O diretor tricolor afirmou que tem um bom relacionamento com o ex-treinador e que no momento ainda é incerto como estará a equipe para o jogo contra o Bragantino nesta sexta-feira (9).

Confira a entrevista realizada no estádio Santa Cruz:

Desgaste

“Havia um desgaste desde antes o jogo contra o Oeste. Felizmente ganhamos, no último minuto e de maneira muito apertada, mas que valeu os três pontos. Com a história que surgiu se ele ia ou não para o Criciúma, acabou criando uma situação ainda mais incomoda e durante uma conversa nossa agora a pouco, ele decidiu deixar o Botafogo. Foi iniciativa dele. Eu não gostaria que ele saísse, mas ele estava decidido deixar o clube e acabei aceitando o desligamento”.

Próximo treinador

“Vou ser muito sincero, nesse momento o Botafogo não tem treinador. O clube não vinha conversando com ninguém. Claro que a partir de agora, as conversas vão se intensificar e teremos que ser ágeis. Felizmente, nesse momento o Botafogo está em situação melhor, muito mais confortável, diferentemente do Paulistão. Hoje os profissionais querem vir trabalhar aqui, então eu não vejo com dificuldade a contratação de um treinador nos próximos dias.”

Hemerson Maria

“Eu procuro estar atento ao mercado e  acompanho o trabalho do Hemerson Maria. Assim como observo os trabalhos do Claudio Tencati, que gosto muito, do Roberto Fonseca, que está no Guarani e já trabalhou comigo duas vezes, sempre fazendo ótimos trabalhos, do Milton Mendes, que tentei trazer em uma oportunidade e não foi possível. Pode ser que daqui para frente, esses e outros nomes, como o de Gilson Kleina, a gente venha conversar, mas nesse momento o Botafogo não tem nomes e não tem treinador.”

Duelo contra o Bragantino

“Ainda não sei o que faremos para o jogo desta sexta-feira (9), mas provavelmente será alguém da comissão que comandará o time. Estou sendo muito sincero, o Botafogo não tem nome. Eu sei que é uma situação difícil e ruim, mas é a verdade.”

Profissional da casa

“Nesse momento falta um profissional fixo da casa. É um erro e isso não pode acontecer em um time grande como o Botafogo. Nós estamos no Paulistão, na Série B do Brasileiro e eu confesso para vocês que é um erro de todos nós. Esperamos nesse momento, aproveitando tudo o que está acontecendo agora, fazer uma correção de rumo quase permanente dos erros que o Botafogo está cometendo.”

Cavalo x Festucci

“A relação que eu tenho com o Roberto é de extrema lealdade. Posso garantir que eu e ele temos um relacionamento muito bom. Ele deixa um amigo em Ribeirão Preto e é um amigo, para mim, que se vai. Espero que retorne algum dia. O que eu tinha com ele era conversa de técnico e diretor, nunca escalei o time. Quando eu falo em desgaste é o dia a dia do futebol. Não é um desgaste de ruptura de amizade, mas sim profissional. O Botafogo entendia que de repente poderia ter um modelo de planilha diferente de mecanismo. Isso acontece no São Paulo, Palmeiras, olha só o Felipão. É normal.”