Foto: Raul Ramos / Agência Botafogo

A vitória do Botafogo conquistada diante do São Caetano, por 3 a 0, trouxe alívio e renovou as forças do time para tentar escapar das últimas colocações do Paulistão. E dentro deste cenário, um dos jogadores que mais teve motivos para comemorar foi o meia Nadson (na foto à direita), que voltou a disputar uma partida oficial após um período de quase quatro meses.

Aos 18 minutos do 2º tempo, Léo Condé chamou o meio-campista e promoveu a entrada dele no posto do atacante Felipe Saraiva. A participação de Nadson na etapa complementar encerrou um ciclo de expectativa do atleta, que havia jogado pela última vez apenas nos minutos finais da partida do Paraná, seu ex-clube, contra o Bahia, na derrota por 2 a 0, em Salvador, pela 29ª rodada do último Campeonato Brasileiro, no dia 13 de outubro.

Nádson se machucou três rodadas antes e começou a sua rotina dentro do departamento médico para buscar a recuperação. “Machuquei o adutor em um clássico do Paraná contra o Athlético-PR e depois voltei a treinar, mas ainda estava com dores. Quando conversei com o pessoal do Botafogo eles já sabiam da minha situação, apostaram na minha recuperação e eu espero retribuir dentro de campo”, disse o jogador, que admitiu ter passado também por tratamento de uma pubalgia. “Foi uma lesão complicada porque pegou primeiro no adutor e depois pegou um pouco do púbis. Foi um princípio de pubalgia que eu tive, mas já foi tratada e eu tenho que continuar fazendo fortalecimento para que eu não volte a sentir mais nenhuma dor. Tenho certeza que com o trabalho que eu fiz e que vou continuar fazendo não vou sentir mais nada durante o ano.”

Mesmo admitindo ainda não estar com 100% das condições físicas, o jogador se coloca à disposição para ajudar o Tricolor no duelo contra o Guarani neste domingo (10), às 20h, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa. “Estou à disposição para o que o Léo (Condé, técnico) precisar e se ele decidir me colocar no jogo contra o Guarani para jogar desde o começo eu vou procurar fazer o meu melhor. Não sei se suporto um jogo inteiro, afinal quem já está vindo jogando direto às vezes não aguenta. O que sei é que daqui um ou dois jogos acho que já tenho condições de suportar isso bem.”

“Estou feliz em voltar a jogar porque fiquei muito tempo sem entrar em campo e foi uma estreia boa porque o mais importante foi a nossa vitória. Fiquei muito feliz por ter entrado e não ter sentido nada. Agora é pegar firme nos treinamentos para que eu possa a cada dia melhorar mais fisicamente”, finalizou Nadson.