Nadou, nadou e morreu na praia… Botafogo perde para o Coritiba e acesso fica distante

Pantera não tem bom inicio na partida, recupera no segundo tempo, mas mesmo com domínio não consegue alterar o placar

Botafogo perde por 1 a 0 para o Coritiba no estádio Santa Cruz. Foto: Raul Ramos/Agência Botafogo
Continua depois da publicidade

Nesta sexta-feira (1), o Botafogo perdeu por 1 a 0 para o Coritiba pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B. Com a derrota, o Pantera mantém os 44 pontos na nona posição da tabela e fica ainda mais distante do acesso. Já o Coxa soma 52 pontos e aumenta as chances de voltar para a elite do futebol nacional.

A próxima partida do Tricolor é na terça-feira (5) contra o Oeste, às 19h15, na Arena Barueri.

Primeiro tempo

Todos anunciavam o duelo entre Botafogo e Coritiba como o jogo de seis pontos. Os dois clubes estavam de olho no G4 e uma seria importante para os dois lados. O cenário estava preparado para ser uma grande partida, mas não foi.

O primeiro tempo foi frustrante para os torcedores dos dois lados, principalmente para os tricolores. O Coxa abriu o placar aos 15 minutos com o atacante Rodrigão.

Em jogada ensaiada, o atacante Giovanni rolou para o meia Juan Alano, que cruzou na medida para Rodrigão. O atacante cabeceou firme e mandou a bola para o fundo da rede. 1 a 0 Coritiba.

Para completar o péssimo primeiro tempo, as duas equipes erravam passe e a bola pouco rolava no estádio Santa Cruz. O árbitro Rodrigo Carvalhaes de Miranda até tentou melhorar o tempo de bola rolando dando 10 minutos de acréscimos, mas não adiantou.

Segundo tempo

Para o segundo tempo, o técnico Hemerson Maria colocou o time mais pra frente, com o meia Nadson no lugar do volante Higor Meritão. Para o bem da partida deu certo e o time do Botafogo voltou mais ligado para a segunda etapa.

O tricolor arriscou, ameaçou e dominou. Se não fosse a trave, aos dois minutos, o volante Marlon Freitas teria empatado a partida. Três minutos depois, o meia Murilo Henrique arriscou de longe e o goleiro Alex Muralha, conhecido dos tricolores, espalmou.

E as finalizações no começo da segunda etapa não foram as únicas do Marlon e do Murilo. Os dois jogadores não desistiam e se tornaram protagonistas na reta final da partida. O volante teve uma bola que passou com perigo por cima do gol e o meia parou no travessão.

E o Coritiba? O time curitibano estava satisfeito com o placar e só se defendia. Também utilizava muito um dos recursos favoritos do futebol brasileiro, a cera.

O tempo passava, o Botafogo não saía da área do Coxa, tentava e nada da bola entrar. Talvez faltava a sorte ou um pouco mais de estabilidade nas partidas do Tricolor.