Festucci dá aval a Luiz Pereira e garante ex-presidente no Conselho da SA

Declarações foram dadas ao programa Interação, do Grupo Thathi; ele também defendeu a demissão de Léo Franco

Osvaldo Festucci, presidente do Botafogo - Foto: Reprodução / Grupo Thathi

O presidente do Botafogo Futebol Clube, Osvaldo Festucci, afirmou que conta com o ex-presidente Luiz Pereira na composição do Conselho de Administração da Botafogo Futebol SA. Luiz Pereira vem sendo muito contestado pelo Conselho do Botafogo, que já pediu, inclusive, que ele deixasse o cargo que ocupa na BFSA.

“O Luiz Pereira é um dos grandes botafoguenses que eu conheço (…) Na minha leitura, tenho plena convicção, tenho certeza, que o voto do Luiz Pereira sempre será favorável ao Botafogo Futebol Clube”

Segundo Festucci, Pereira vai continuar a ocupar o cargo na BFSA. “Eu garanto que o voto do Luiz Pereira sempre será a favor do BFC. Quando você dá um aval, você tem que ter clareza que você pode ser chamado a cumprir esse aval. Acredito muito no Luiz Pereira”, disse, em entrevista ao programa Interação, do Grupo Thathi.

As outras indicações do Botafogo para o Conselho serão o economista José Rita Moreira, que assume a vaga de conselheiro independente, e o ex-presidente Virgílio Pires Martins

Léo Franco

Festucci também declarou que irá trabalhar pela saída de Léo Franco da BFSA. “A cada dez conselheiros, dez pedem a saída do Léo Franco. Acho até que ele tem essa consciência. Ele é o lado mais fraco dessa história e eu não estou aqui defendendo ele. Mas ele é um funcionário da S/A, ele é remunerado, diferente de mim, por exemplo, que sou abnegado. Em algumas situações ele pode até na cabeça dele discordar, mas ele simplesmente vai lá e faz porque ele é mandado. Eu acho que com tudo o que está acontecendo, pela pressão que está havendo em cima disso, na nova composição do Conselho, eu tenho a impressão que (…) está na hora de fazer essa mudança”, afirmou Festucci.

Dívida

Festucci declarou, ainda, que a dívida do BFC, no valor de R$ 30 milhões, pode inviabilizar a operação do Botafogo.

“Precisamos fazer um acordo. A nossa intenção é que o investidor assuma todas as dívidas e a gente faça o pagamento com verbas provenientes da BFSA, pagando como correção o reajuste da taxa Selic”, disse.