Em nota, empresa Botafogo SA responde questionamentos do Grupo Thathi

Em matéria exclusiva, Grupo Thathi mostrou falta de transparência nos contratos envolvendo empresa que gere futebol do Pantera; confira todo o percurso realizado para a elaboração da reportagem

Foto: Grupo Thathi de Comunicação

A reportagem do Grupo Thathi de Comunicação procurou a assessoria de imprensa da empresa Botafogo Futebol SA (BFSA) pela primeira vez na tarde desta quinta-feira (22), quando comunicou que iria fazer uma matéria envolvendo contratos assinados pelo ex-presidente Gerson Engrácia Garcia com a Trexx. Na ocasião, o repórter informou que entraria novamente em contato para explicar a demanda para a matéria, que não seria publicada naquele dia.

Por volta das 23h da quinta-feira, a reportagem deixou recado no whatsapp do assessor de imprensa da empresa BFSA, pedindo que ele retornasse o contato. Isso ocorreu por volta das 0h45 desta sexta-feira. Em conversa telefônica, o autor da matéria explicou o teor do que seria divulgado e solicitou uma entrevista sobre o assunto com o investidor Adalberto Batista. A conversa durou 16min19.

Logo depois, atendendo à orientação da assessoria de imprensa, a reportagem enviou um e-mail formalizando uma série de questionamentos. No documento, além das perguntas, a reportagem informa que pretendia destinar uma matéria exclusiva para a repercussões das declarações dos citados na matéria, incluindo a empresa BFSA.

A reportagem informou que a publicação da primeira matéria seria feita no fim da manhã desta sexta-feira e foi informada que a demanda seria encaminhada logo pela manhã para a análise do departamento jurídico da BFSA.

Entre 12h e 14h36, foram quatro conversas telefônicas entre a reportagem e a assessoria do BFSA. Na primeira delas, às 12h24, a assessoria de imprensa da BFSA questionou se o Portal da Thathi se comprometia com a publicação de uma matéria, em formato de perguntas e respostas, onde o investidor Adalberto Batista iria se pronunciar sobre o assunto, o que foi respondido afirmativamente. A reportagem informou que a matéria seria publicada por volta de 14h.

A assessoria informou que iria enviar o texto dentro do prazo. Por volta de 13h45, em nova ligação, a assessoria do BFSA questionou se haveria interesse, por parte do Grupo, em não publicar a matéria até segunda-feira. Se isso ocorresse, a assessoria garantiria uma entrevista exclusiva com Adalberto Batista ao Grupo Thathi. A proposta foi recusada.

A reportagem informou então que a publicação ocorreria dentro do prazo determinado, e que o outro lado com as respostas da BFSA, em formato de perguntas e respostas, poderia ser enviado normalmente para publicação, que ocorreria na íntegra e sem cortes, como combinado.

Momentos depois, houve uma mensagem por parte da assessoria de imprensa informando que a matéria conteria alguns erros, ao que foi respondido que a BFSA encaminhasse os problemas para eventual correção, o que não havia sido feito até o fim da tarde desta sexta-feira.
A reportagem tentou contato com a assessoria de imprensa através de telefonemas em três oportunidades depois dessa mensagem, mas não houve resposta. Também deixou recado no whatsapp do assessor, sem resposta. Até o momento, o Grupo Thathi não recebeu a resposta da assessoria de imprensa do BFSA.

Repercussões

A reportagem do Grupo Thathi marcou uma entrevista com Gérson Engrácia Garcia, presidente da BFSA e ex-presidente do BFC para a noite de quinta-feira (22). A entrevista ocorreria no Estádio Santa Cruz, depois da reunião do Conselho Deliberativo, mas teve que ser adiada devido ao protesto de parte da torcida organizada contra Gersinho que ocorreu na ocasião.

Em contato feito na manhã desta sexta-feira, Engrácia aceitou dar entrevista. Ao ser procurado, entretanto, o ex-presidente do Botafogo negou qualquer irregularidade, informando ainda que considera os contratos firmados muito positivos para o Botafogo, mas informou que o comunicado oficial seria enviado pela Trexx.

Procurado, o presidente do Botafogo Futebol Clube, Dmitri Abreu, informou que já solicitou a cópia de todos os contratos firmados pela BFSA, inclusive os referentes às parcerias com a Trexx. “Recebemos o aval do Conselho e iremos discutir a parceria de forma a torná-la adequada aos interesses do Botafogo Futebol Clube. A princípio, tentaremos uma arbitragem para renegociar pontos que consideramos irregulares do contrato”, disse.

Dmitri informou ainda que não vê, por parte do Botafogo, interesse em romper a parceria. “Esperamos acertar os detalhes”, conta.

A reportagem também conversou com Carlo Filipini, diretor de Finanças e Auditoria do Botafogo Futebol Clube na noite desta quinta-feira. Ele confirmou o teor das informações divulgadas pela matéria do Grupo Thathi. “Efetivamente, as receitas da Arena Eurobike são da BFSA, sendo que a exceção são bares, que estão excluídos da SA, indo a receita para Trexx, assim como os alimentos e bebidas vendidos dentro do estádio todo”, disse.

Filipini informou ainda que o Conselho do Botafogo Futebol Clube não foi informado de nenhum contrato nesse sentido. “Quando isso aconteceu, a presidência era do Gérson. Não sei te dizer se houve ou não notificação ao Botafogo, mas o Conselho não foi cientificado”, disse.

Ele ainda informou que o BFC não tem nenhum documento que comprove o valor investido nas obras de reforma da Arena Eurobike. “É um valor que a gente não pode afirmar, porque não há documentação que a gente tenha visto para poder afirmar isto”. Também informou que nenhum desses contratos foi entregue para a comissão que audita esse material.

Atualização

A empresa Botafogo Futebol SA divulgou nota pública onde finalmente respondeu aos questionamentos do Grupo Thathi. Confira a íntegra das respostas.

1 – A Trexx e a SA confirmam o acordo? Qual o motivo da cessão gratuita dessas receitas?

Existe e confirmo a existência desse acordo de investimento, mas as bases são completamente diferentes das expostas. Pela projeção de receitas a serem auferidas no investimento realizado caberá ao Botafogo Futebol S.A. entre 85% das receitas e para a TREXX 15%. Não houve cessão gratuita. Para o Botafogo Futebol Clube é repassado mensalmente o valor fixo de R$ 120.000,00.

2 – Qual o valor dos contratos de locação envolvendo os bares Seo Tibério e Hard Rock? E qual o faturamento com bebidas e alimentos no Santa Cruz?

O valor dos contratos de locação é feito com base no faturamento, e representam no total 8% das receitas de ambos os restaurantes.

3 – Qual a razão do aporte de R$ 5 milhões que motivou a cessão?

Construir uma Arena Multiuso, hoje denominada Arena Eurobike, que fará com que o Botafogo Futebol S.A. mude de patamar em receitas e consiga competir em pé de igualdade com os grandes times do futebol brasileiro, além de garantirmos um aumento de conforto e bem estar ao torcedor botafoguense com o consequente aumento do público nos jogos.

4 – O Conselho do Botafogo foi informado desse negócio?

O conselho do Botafogo F.C foi convocado para reunião específica que tratou dessa cessão da superfície, aprovou, e delegou à Diretoria para formalizar a contratação. O Conselho de Administração do Botafogo Futebol S.A. também aprovou em reunião realizada com esse propósito, com a participação inclusive de 3 ex-presidentes do Botafogo Futebol Clube indicados para comporem o Conselho.

5 – Até o momento, a informação que circulava no Conselho do Botafogo é que todas as receitas da S/A seriam repartidas entre Botafogo FC e Trexx, na proporção de 60% / 40%. Qual a razão desse acordo, que prevê 100% de destinação dessas receitas para a Trexx, não ter sido divulgado?

Toda a pergunta esta baseada em fatos inverídicos conforme já exposto acima

6 – Quanto às obras da Arena Eurobike, qual o valor investido? E quanto foi pago pela Trexx?

Cerca de R$ 14 milhões. Pela Trexx foi pago aproximadamente R$ 9 milhões.

7 – O conselho do Botafogo Futebol Clube afirmou que não há nenhuma prestação de conta sobre os valores gastos com a reformada da Arena Eurobike. Qual a causa desses contratos não terem sido encaminhados para a S/A e para o BFC?

Toda prestação de contas, contratos, e etc foram devidamente apresentados nos ‘órgãos competentes da Botafogo Futebol S.A. com o encerramento das obras já se deliberou pela montagem de um “data room” onde todos os contratos e cotações de preços, entre outros documentos, ficarão à disposição não só da Diretoria e Conselheiros do BFC e BFSA, mas de toda a coletividade botafoguense inscrita no programa Botafanáticos.

8 – O Conselho do Botafogo FC informou que solicitou, há mais de 30 dias, cópias de todos os contratos envolvendo a parceria, mas não foi atendido. Há prazo para o envio da documentação?

Todos os contratos foram devidamente disponibilizados, tanto que alguns até cópia o jornalista que está formulando as perguntas declara possuir.