Direção da Botafogo SA ignora protestos e mantém contratação de Wesley

Patrocinadores afirmaram que aguardam esclarecimentos do clube; Botafogo fala em reabilitar jogador

Wesley, do Botafogo, foi preso por agredir ex-companheira - Foto: Agência Botafogo
Continua depois da publicidade

A diretoria da Botafogo Futebol SA decidiu manter a contratação do atacante Wesley mesmo depois da repercussão negativa nas redes sociais e junto à torcida. Wesley foi condenado por agredir a ex-companheira e atualmente cumpre pena em regime aberto pelo crime, do qual é réu confesso.

A decisão foi discutida no Conselho de Administração da Botafogo S/A e, de acordo com a nota emitida pelo clube, foi aprovada por seis votos a um. “O Conselho de Administração da Botafogo Futebol S/A discutiu a contratação do atacante Wesley Pionteck e aprovou a permanência do atleta com seis votos a favor e apenas um contra. O clube entende as diversas manifestações contra a contratação do atleta e repudia veementemente qualquer ato de violência a quem quer que seja”, disse a empresa, em nota.

Segundo a empresa, a decisão de manter o atleta visa ajudar na formação humana do jogador. “Temos consciência de nossa responsabilidade no combate a outro problema grave: a dificuldade na reinserção social de condenados pela Justiça. Wesley sabe que errou e está pagando por seu erro, de acordo com a determinação judicial. Mas é importante que ele não seja condenado uma segunda vez, o impedindo de realizar a sua atividade profissional e prover o sustento de sua família”, disse. “Ressaltamos que é direito de todo cidadão ser tratado com dignidade e respeito, ainda que ele tenha cometido um delito e tenha sido condenado por ele”.

Contestação

A decisão foi contestada nas redes sociais e por torcedores. “Imagina o orgulho que o Sócrates estaria agora. E os fascistas usando o nome do cara”, disse torcedor, na página oficial do clube.

“Me dói ver um cara como o Wesley vestindo a mesma camisa a qual minha mãe amava, que eu ensinei minha esposa a gostar e a que também estou ensinando minha filha a gostar! Por respeito a todas a mulheres que amam esse clube, espero do fundo do meu coração que a diretoria reveja essa contratação”, disse Ulisses Vittori, em postagem nas redes sociais.
Procurado, o clube limitou-se a informar que o Botafogo “tem entre os seus pilares a democracia, a inclusão, a responsabilidade social e a defesa das minorias. Em 102 anos de história, nos orgulhamos de termos feito parte da defesa de diversas causas que dizem respeito à sociedade como um todo e fazem parte da nossa identidade”.

Patrocínios

A reportagem do Grupo Thathi procurou as assessorias de imprensa da Unimed e Sicoob, patrocinadores do Pantera.

O Sicoob informou que já cobrou explicações do Botafogo, de forma interna, e que aguarda o posicionamento oficial aos questionamentos feitos. “O Sicoob esclarece que repudia quaisquer atos de violência e discriminação contra a mulher e que, prezando pelo respeito e valorização das pessoas, solicitou ao Botafogo de Ribeirão Preto um posicionamento diante da contratação do atleta Wesley Pionteck. A instituição reitera que os acordos com jogadores acontecem sem aviso prévio aos patrocinadores e que, a partir do esclarecimento por parte do clube, o Sicoob avaliará os próximos passos do acordo de patrocínio”.

Mesma posição tem a Unimed, que informou, em nota, que irá avaliar a continuidade da parceria. “A Unimed Ribeirão Preto informa que repudia qualquer forma de violência e discriminação, como as que foram veiculadas, em razão da contratação do jogador Wesley Pionteck pelo Botafogo. Como patrocinadora, a Unimed não interfere e nem participa das decisões de contratação ou no dia a dia do clube. Esclarece também que, após posicionamento oficial da direção do Botafogo na tarde dessa sexta (04/12,) em manter o jogador no time, a Unimed irá avaliar internamente como ficará sua relação com o clube e se manifestará em momento oportuno”, disse a empresa, em nota.

A Construtora Pacaembu, que ainda estampa a camisa do Pantera, esclareceu que não é mais patrocinadora do clube. “A construtora esclarece que o contrato de patrocínio com o Botafogo de Ribeirão se encerrou no dia 30 de junho desse ano e não foi renovado. A empresa esclarece ainda que possui um Código de Ética que repudia qualquer ato, manifestação ou defesa de violência”.

Nenhuma postagem para exibir