Denílson não aproveita nova chance e terá contrato rescindido com o Botafogo

Paciência da comissão técnica com o jogador acabou no treino do final de semana quando o volante se apresentou com lesão na mão e também não estaria correspondendo nos treinamentos

Foto: Raul Ramos / Agência Botafogo

Contratado como o principal nome para a temporada, o volante Denílson está fora do Botafogo após ter atuado por apenas 19 minutos do segundo tempo na derrota contra o Red Bull Brasil, por 3 a 1, no dia 15 de fevereiro, pela 7ª rodada do Paulistão. A diretoria irá se reunir com o jogador e seu representante na tarde desta segunda-feira (22), no Estádio Santa Cruz, para acertarem a rescisão contratual do camisa 15, que atualmente é válido até 30 de abril do ano que vem.

“O clube está tratando a rescisão com o jogador e o Denílson não treina hoje (segunda-feira). Assim que tudo for resolvido oficialmente as informações serão repassadas”, afirmou o clube em comunicado oficial em que confirma o processo de desligamento de Denílson.

O jogador já havia sido avisado publicamente pela diretoria que teria que aproveitar a segunda chance que teria agora para atuar na Série B e mostrar que o investimento em sua contratação teria sido positivo. Durante a última semana, Denílson treinou entre os titulares, principalmente com a ausência nas atividades de Willian Oliveira, que está entregue ao departamento médico. O ex-volante do São Paulo e Arsenal-ING chegou a ser titular inclusive na derrota em jogo-treino, por 3 a 2, contra a equipe sub-20, na semana passada.

Segundo informações apuradas pela reportagem, a gota d’água ocorreu quando o jogador se apresentou para o treino do último final de semana com uma lesão na mão e o local inclusive estava enfaixado com uma proteção. O rendimento do atleta também não estaria agradando a comissão técnica e houve o pedido para que o jogador não continuasse mais no elenco. Após isso, a diretoria informou o jogador da decisão da dispensa.

Essa foi a segunda vez que Denílson não atendeu às expectativas do técnico Roberto Cavalo. No último treino antes da partida contra o Oeste, em Barueri, pela 1ª fase do Troféu do Interior, Denílson treinou entre os titulares aparentando estar recuperado de uma virose que havia contraído na semana anterior. Porém, após a atividade, o jogador falou a Cavalo que não teria condições de ajudar o Tricolor na partida. O treinador questionou Denílson se ele poderia ao menos atuar por meio tempo ou menos, mas ele manteve a posição de que não tinha condições de jogar.

Após esse episódio, dirigentes já eram favoráveis a demissão de Denílson por falta de comprometimento. Entretanto, alguns ainda preferiram dar uma segunda chance ao jogador para que ele tivesse ao menos a chance de jogar uma partida completa para ser mais bem avaliado. Esta possibilidade já não irá mais acontecer.

O volante já havia se envolvido em outra polêmica no início da temporada. Após a derrota do Botafogo para o Novorizontino, por 1 a 0, Denílson discutiu com torcedores em um rede social e chegou a chamar alguns deles para a briga. Fora da lista de relacionados para a partida, o jogador assistiu o jogo em um bar da cidade. Após o episódio, Denílson se desculpou pelo ocorrido.

Denílson chegou ao Botafogo no final do ano passado por indicação de Adalberto Baptista, presidente do Conselho de Administração do Botafogo S/A. Ambos trabalharam juntos no São Paulo. O volante se apresentou ao Tricolor após um período de dois anos sem jogar devido a uma grave lesão e cirurgia no joelho direito que teve que ser submetido.

O jogador foi procurado pela reportagem na manhã desta segunda-feira (22) para dar sua versão sobre a decisão do clube pela demissão, porém não foi encontrado.